Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística


Farol de Leça, do Cabo Carvoeiro e de Santa Maria abertos a visitas no Dia do Mar

No âmbito do Dia do Mar, que se assinala esta sexta-feira, dia 16 de novembro, a Autoridade Marítima Nacional abre a visitas ao público em geral os Faróis de Leça, do Cabo Carvoeiro e de Santa Maria. As visitas são gratuitas e o período de abertura ao publico será das 13h30 às 16h30.

DIA 14, NA ENIDH

Palestra: Da Cartografia na Antiguidade até à Cartografia Portuguesa

Dia 14, pelas 15h00, no Auditório situado no Campus da ENIDH, vai realizar-se a palestra intitulada “Da Cartografia na Antiguidade até à Cartografia Portuguesa”, que terá como oradores Carlos Nascimento e Rainer Daehnhardt.
Esta palestra vai levar-nos a reconhecer como a cartografia lusa, sempre secreta e de muito difícil acesso, se tornou o expoente máximo das provas de avanço científico, pilar gigante da construção do Mundo Português.

As valsas portuguesas que o bacalhau levou à Terra Nova

No legado de um famoso acordeonista de São João da Terra Nova há vários temas inspirados na música tradicional portuguesa que ele aprendeu com um capitão, Manuel da Silva. Um norte-americano tenta agora desvendar os mistérios da origem desta música que fixa na memória local a saga da Frota Branca.
Esvaziada dos seus navios e mares, a Frota Branca é apenas uma memória. Décadas depois de os portugueses terem abandonado a pesca do bacalhau nos Grandes Bancos do Atlântico Norte, em São João da Terra Nova sobram fotografias, lembranças de homens jogando futebol no cais, saudades de amores fortuitos, alguns topónimos na costa e pouco mais.

SINES

APS disponibiliza «StoryMap do Porto de Sines» on-line

A APS – Administração dos Portos de Sines e do Algarve disponibiliza on-line a aplicação “StoryMap do Porto de Sines”, que apresenta a evolução histórica desta infraestrutura portuária através de mapas, imagens, vídeos e textos que se revelaram importantes para a afirmação do porto no contexto nacional e internacional.

FAROL-CAPELA

S. Miguel-o-Anjo será espaço museológico

O farol-capela de S.Miguel-o-Anjo e a torre adjacente, edifícios que marcam a paisagem da Cantareira e contam parte da história da barra do Douro, vão transformar-se em espaço museológico. As obras em curso, que se estendem à vizinha Casa dos Pilotos, vão permitir a criação de um centro expositivo e de um percurso vertical de visitas.
A expectativa da Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN), entidade que promove a intervenção, é abrir ao público no final de 2019.

VIAJANDO PELA HISTÓRIA

O choque do petróleo disparou o preço do bacalhau e quase «matou» a Setenave

Em Outubro de 1973, a economia portuguesa estava a crescer há 30 anos consecutivos. A decisão da OPEP de aumentar o preço do petróleo e diminuir a produção funcionou como um travão. A inflação disparou e as famílias apertaram o cinto. Nas empresas perdeu-se competitividade no mercado externo. Uma delas, a Setenave, projectada para construir petroleiros, quase não viu a luz do dia.

Jornadas Europeias do Património no Porto de Aveiro

O Porto de Aveiro recebeu, sexta-feira, a visita de um grupo de participantes das Jornadas Europeias do Património, organizadas pela ADERAV.
O grupo, constituído por 30 pessoas, teve oportunidade de conhecer e partilhar memórias do Porto de Aveiro e do litoral português nesta região, a partir dos testemunhos inscritos nas estruturas físicas, documentação histórica/documental e cartografia antiga.

ESTA SEXTA-FEIRA

ADERAV promove «viagem» à história do Porto de Aveiro

A ADERAV associou-se mais um ano à Direção Geral do Património Cultural, para a celebração das Jornadas Europeias do Património, este ano dedicadas ao tema "Partilhar Memórias".

Em colaboração com a Administração do Porto de Aveiro, vai levar a efeito uma visita ao Porto de Aveiro, esta sexta-feira, dia 28 de setembro, onde se pretende dar a conhecer e partilhar memórias do Porto de Aveiro e do litoral português nesta região, a partir dos testemunhos inscritos nas suas estruturas estruturas físicas, documentação histórica/documental e cartografia antiga.

CONHEÇA A RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE MINISTROS

Estrutura de Missão para as Comemorações do V Centenário da Circum-Navegação

A Resolução do Conselho de Ministros n.º 24/2017 criou uma estrutura temporária de projecto designada por Estrutura de Missão para as Comemorações do V Centenário da Circum-Navegação comandada pelo navegador português Fernão de Magalhães (2019-2022). O objectivo consiste em organizar as comemorações dos 500 anos da primeira volta ao mundo, em articulação com as instituições de ensino superior e instituições científicas, autarquias locais e demais entidades públicas e privadas.

Rota de Magalhães candidata a Património Cultural da Humanidade

A candidatura à UNESCO da Rota de Magalhães é uma das iniciativas do programa de comemorações dos 500 anos da viagem de circum-navegação do navegador português Fernão de Magalhães.

Onde nasceu Fernão de Magalhães? Ponte da Barca!

Fernão de Magalhães, o navegador da circum-navegação, nasceu em Sabrosa, diz a Wikipedia. Falso, diz o investigador Amândio Barros. Para outros, Magalhães nasceu no Porto. O convidado da TSF rebate esses argumentos e anuncia que a questão da naturalidade do explorador está resolvida: foi em Ponte da Barca! Amândio Barros doutorou-se em história pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, sendo actualmente investigador no CITCEM da Universidade do Porto. Ganhou vários prémios devido aos seus estudos sobre os Descobrimentos.

Fernão de Magalhães numa cratera marciana desde 1976

Os EUA referem que quatro crateras e três vales de Marte têm nomes portugueses, sendo que Fernão de Magalhães foi o primeiro português a «navegar» até ao planeta vermelho. A USGS catalogou 25 categorias de acidentes na superfície de Marte.

ATÉ 30 DE SETEMBRO, NA GARE MARÍTIMA ALCÂNTARA

«Mar Profundo Português»

"Mar Profundo Português". Uma exposição que mostra o pioneirismo de Mário Ruivo, o primeiro português a mergulhar a 2200 metros de profundidade. Até dia 30 de Setembro na Gare Marítima Alcântara, Lisboa.

Desejava Fernão Magalhães circum-navegar o Globo?

Desejava Fernão Magalhães circum-navegar o Globo? Ou pretendia simplesmente tocar as ilhas Molucas e regressar? Ao certo não sabemos. O que interessa realmente aqui sublinhar é que um tal projecto continha inúmeros riscos e suscitava desconfianças e incertezas. Com efeito, o que Fernão de Magalhães se propunha efectuar – mostrar que as ilhas Molucas se encontravam fora do hemisfério português – era um enorme desafio técnico e humano. Para mais quando até ao momento fora impossível delimitar de forma rigorosa as zonas de influência, espanhola e portuguesa, definidas em Tordesilhas.

Celebrações dos 500 anos da circum-navegação de Fernão de Magalhães

Portugal apresenta um plano de iniciativas que visa celebrar o V Centenário da Circum-Navegação do navegador português Fernão de Magalhães, precisamente no dia em que se celebram 499 anos da partida dessa expedição.

A tarefa de conduzir as celebrações durante os próximos quatro anos cabe à Estrutura de Missão, na dependência da área do Mar, criada com esse objetivo.

ESTA SEXTA-FEIRA

Palestra «Para além do Fim do Mundo» relembra feito de Fernão de Magalhães há 500 anos

Em sessão conjunta a Academia de Marinha – Comissão Cultural de Marinha, vai realizar-se no Pavilhão das Galeotas do Museu de Marinha a palestra “Para além do fim do mundo”, esta sexta-feira, 21 de setembro, às 18 horas.
O palestrante é Laurence Bergreen, biógrafo, historiador e cronista americano.
 

AQUI HÁ HISTÓRIA | VÍDEO

U-1277. O submarino alemão que a própria tripulação afundou ao largo de Matosinhos

O "Aqui há História" leva-nos até ao final da II Guerra Mundial quando a tripulação de um submarino alemão saltou para o mar e afundou a embarcação. Todos foram resgatados, a maioria foi acolhida pelos pescadores de Angeiras, em Matosinhos. E ainda há quem se lembre bem desse dia.

FAROL DA PONTA DO PARGO, NA MADEIRA, É O MAIS VISITADO DO PAÍS. O DE AVEIRO É O NÚMERO UM DO CONTINENTE

Visitas aos faróis viram tendência de norte a sul

Rosa Neves, de 53 anos, vai contando os degraus que faltam para terminar a subida, que a faz parar a meio das escadas para respirar. "Olha eu ligeirinho, com 67 anos. Subia o dobro", brinca o marido, Ântimo Carvalho, uns degraus mais acima. Era quarta-feira e, por isso, o farol da Barra (também conhecido por farol de Aveiro) estava aberto, a título gratuito, como outros 27 no país. Rosa, Ântimo e a filha, Diana, residentes em Oliveirinha, Aveiro, nunca lá tinham ido. Assim, tiraram a tarde para um passeio e fizeram-se turistas no concelho vizinho. À semelhança deles, cada vez mais gente visita os faróis portugueses. Em 2017, as imponentes estruturas receberam mais 14,7% do que em 2016.

TOMAR

Laboratório de Arqueologia e Conservação do Património Subaquático

O Instituto Politécnico de Tomar é uma instituição de ensino superior que versa, entre outras áreas, as Ciências do Património, incluindo o Património Cultural Subaquático. Integra um Laboratório de Arqueologia e Conservação, onde recebe estagiários em formação nesta área.

Também desenvolve diversos projetos de investigação, prestação de serviços e eventos, bem como atividades de educação patrimonial. O património cultural subaquático é um património invisível e ainda muito desconhecido da população em geral. Assim, nos seus objetivos o LABACPS-IPT pretende contribuir para um melhor reconhecimento e valorização dos vestígios arqueológicos, garantindo uma maior salvaguarda e preservação do nosso passado.

PORTO DE SETÚBAL - NAVEGANDO PELA HISTÓRIA | 09.06.1945

Memória descritiva do Ante-Projecto do abrigo junto do embarcadoiro das carreiras fluviais

"A parte central do porto foi alvo de vários estudos de melhoramento, nomeadamente para a instalação de um mastro de sinais, para a montagem da instalação eléctrica no jardim e ainda submetido a apreciação superior o projecto de um abrigo para passageiros que recebeu aprovação por despacho ministerial de 27 de Novembro deste mesmo ano.(...)".

Total: 683