Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

SESIMBRA

Cais de embarque na Praia do Ouro já está a ser construído

Já está em curso a construção do cais de acostagem na Praia do Ouro, em Sesimbra. Prevê-se que os trabalhos estejam concluídos no final do mês de Maio.

O equipamento, destinado a embarcações marítimo-turísticas e de recreio, até sete metros de comprimento, ficará localizado na ponta do molhe, fronteiro ao Hotel do Mar, voltado para o porto de Abrigo, e terá uma estrutura flutuante de acostagem com 20 metros.

A ligação a terra vai fazer-se por uma ponte com 15 metros de comprimento. Depois do Verão, será removido e voltará a ser instalado no início de cada época balnear.

O processo para a construção desta estrutura foi dinamizado pela Câmara Municipal de Sesimbra e faz parte do Programa Integrado de Valorização da Frente Marítima de Sesimbra, apoiado pelo QREN-PORLisboa.

A construção do cais de embarque vai qualificar a oferta turística do município, e representa um investimento de perto de 158 mil euros comparticipados em 50 por cento da verba elegível, que ronda os 135 mil euros.