Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

APDL reduz «pegada» de emissões das embarcações em 20% em parceria com a Prio

A Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) prevê reduzir a sua ‘pegada’ de emissões poluentes das embarcações em 20%, após celebrar uma parceria com a Prio para a utilização de combustíveis ecológicos.

“Com este combustível a APDL vai conseguir reduzir em 20% a pegada associada às suas embarcações, concretizando mais um desígnio do roteiro para a descarbonização e transição energética do Porto de Leixões”, disse o Presidente da APDL, Nuno Araújo, citado em comunicado da administração portuária.

A APDL e a Prio assinaram um protocolo de colaboração para a utilização de ‘Ecobunkers’ (gasóleo com 20% de biodiesel – B20) “em embarcações que operam e que servem de apoio ao porto como, por exemplo, os rebocadores e as lanchas dos pilotos”.

O Presidente da APDL afirmou que o projeto “permitirá reduzir as emissões poluentes nos equipamentos marítimos, contribuindo para a meta da neutralidade carbónica que a APDL pretende atingir até 2035, 15 anos antes dos objetivos definidos pela União Europeia”.

Uma das estratégias para o cumprimento do objetivo da APDL consiste “na substituição do combustível de origem fóssil por combustível com incorporação de biocombustível, produzidos a partir de resíduos, contribuindo para a redução das emissões de CO2 [dióxido de carbono] da sua frota naval”, segundo a empresa.

A APDL referiu ainda que os trabalhos previstos no âmbito do protocolo “decorrerão no porto de Leixões, em embarcações a designar pela APDL”.

Já o Presidente executivo da Prio, Emanuel Proença, assumiu ter “a vontade de ajudar a descarbonizar por completo todos os portos do Norte” do país, após o “pequeno piloto de EcoBunkers” com a APDL visto “apenas como ponto de partida”.

fonte