Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

VEJA A REPORTAGEM FOTOGRÁFICA

Ministra do Mar apresentou proposta de Portugal para a Extensão da Plataforma Continental Portuguesa

A Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, procedeu, a 31 de Março, a uma sessão de apresentação da proposta de Portugal para a Extensão da Plataforma Continental Portuguesa. O evento teve lugar em Lisboa, na Gare Marítima de Alcântara.

Veja um álbum com 24 fotografias da sessão.

Na ocasião, a governante afirmou que Portugal poderá dobrar a extensão da sua plataforma continental para quatro milhões de quilómetros quadrados dentro de dois ou três anos.
A Ministra referiu que Portugal vai apresentar o pedido a uma subcomissão da Comissão de Limites da Plataforma Continental das Nações Unidas e que poderá haver uma decisão «entre dois a três anos».

As propostas só são admitidas para avaliação se não houver oposição dos países que possam ter algum conflito de interesses mas neste momento Marrocos e Espanha já se pronunciaram «sobre não terem nada a opor relativamente à apreciação da proposta portuguesa».

As «razões objetivas» para o pedido de extensão incluem a «segurança jurídica muito maior para o exercício da soberania» e a proteção do oceano, acrescentando a Ministra que também abre possibilidades de exploração económica.

«Por outro lado, temos a possibilidade de concretizar de uma forma mais eficiente o que são os objetivos de sustentabilidade do País em termos de consumo de energias renováveis, de utilização de produtos mais sustentáveis do ponto de vista ambiental», afirmou.

As negociações para a extensão da plataforma com a subcomissão da Comissão de Limites da Plataforma Continental das Nações Unidas começam em agosto.

Fonte das fotos:
https://www.facebook.com/EMEPC/photos/pcb.1103616189750790/1103614263084316/?type=3&theater