Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Governo insatisfeito com volume de candidaturas a fundos comunitários do sector pesqueiro

A ministra do Mar, Assunção Cristas, admitiu sexta-feira em Peniche que os níveis de execução Programa Operacional da Pesca não satisfazem o Governo e desafiou as entidades do setor apresentarem candidaturas que permitam aproveitar melhor os apoios comunitários.

“O PROMAR (Programa Operacional da Pesca) tem garantidos os mínimos de execução, a nível nacional, mas isso não nos satisfaz e queremos que apareçam mais projetos para que possamos gastar bem todas as verbas que temos destinadas”, afirmou a Ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, Assunção Cristas.

O apelo para que “mais entidades públicas e privadas apresentem projetos com capacidade de execução” foi feito em Peniche onde a ministra tomou hoje conhecimento da “dinâmica” do Grupo de Ação Costeira do Oeste, entidade e que tem prevista a atribuição de 1,1 milhões de euros de investimento na região nos próximos dois anos.

O GAC, que integra várias comunidades piscatórias entre Alcobaça e a Lourinhã, ouviu ainda da ministra a promessa de que “se as verbas [para os projetos aprovados pelo PROMAR] forem escassas, haverá com certeza alterações que podem ser feitas porque ainda temos margem para poder comprometer [mais verbas]”.

Assunção Cistas falava na Escola Superior de Tecnologia do Mar, onde conheceu os 24 projetos aprovados de um total de 32 apresentados por aquele grupo.

Durante a manhã a governante visitou a fábrica de conservas ESIP (European Seafood Investments Portugal), que anunciou investimentos de 1,3 milhões de euros e a criação de uma centena de postos de trabalho até 2015.

O aumento do número de trabalhadores na empresa que emprega, em média, entre 700 a 900 pessoas (entre fixas e sazonais), tem por base a ampliação das instalações, na sequência de um acordo para a cedência de um interposto frigorífico da Docapesca.

O espaço, com capacidade para duas mil toneladas de pescado, “possibilita melhores condições de conservação e armazenamento do peixe transformado e 100% destinado à exportação”, precisou o diretor geral, Ricardo Luzio.

Com várias marcas de conservas líderes de mercado em França, Inglaterra, Holanda e Irlanda, a empresa distingue-se “por um novo conceito de conservas que valorizam mais o pescado”, desenvolvido nos últimos três anos e que atualmente “representa mais de 20% do volume de faturação”, acrescentou.

O investimento de 1,3 milhões de euros vai ser aplicado em obras de adaptação da fábrica, na ampliação da estação de tratamento de águas residuais e na implementação de um sistema de tratamento de odores, dado a fábrica estar associada a maus cheiros detetados à entrada da cidade.

A ESIP, detida por capitais tailandeses, fechou o ano passado com um volume de negócios de 60 milhões de euros e prevê, este ano, aumentar a faturação em 10 milhões de euros.