Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

CRUZEIROS EM PORTIMÃO

Mau tempo e greve «roubam» um milhão de euros

O mau tempo e a greve dos trabalhadores portuários obrigaram ao cancelamento de um terço do número de cruzeiros previstos este ano para Portimão. Em termos económicos, as perdas ultrapassam um milhão de euros, apurou o CM. A quebra fez com que o número de escalas, em 2012, seja metade das recebidas no ano passado.

O porto algarvio tinha programadas 45 escalas de navios de cruzeiros, mas só 30 se concretizaram. Oito foram canceladas devido à greve dos trabalhadores portuários e sete por causa do mau tempo.

No total, Portimão perdeu cerca de 14 a 15 mil turistas de cruzeiros. Segundo um estudo do European Cruise Council de 2012, o gasto médio por passageiro é de 62 euros em cada região onde os navios fazem escala, pelo que o prejuízo directo para a economia algarvia ronda os 900 mil euros.

A somar a tudo isto, devem ser contabilizados os gastos em taxas portuárias e proveitos indirectos que resultariam da vinda desses turistas, o que faz disparar o prejuízo total para mais de um milhão de euros.

Em comparação com o ano passado, Portimão recebeu metade dos navios de cruzeiros, sendo o único porto nacional a registar uma diminuição no corrente ano. Para 2013, estão já marcadas 56 escalas. Segundo um estudo da Câmara de Portimão, o porto local podia mais do que quintuplicar o número de turistas de cruzeiros mas seria necessário efectuar obras e adquirir um rebocador. Investimento que ronda os 10 milhões de euros.

O estudo aponta como prioritário o prolongamento do cais de 300 para 770 metros (obra que seria contrapartida da concessão da Marina de Ferragudo, mas esse projecto ainda não avançou), bem como a dragagem do canal de navegação e da bacia de manobras.