Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

O que leva mais de duas mil empresas nacionais a apostarem no exterior

Primeiro, exportar. Depois, internacionalizar. Desde a década de 90 do século passado, ir fisicamente para o estrangeiro é uma prática das empresas nacionais que se querem expandir, uma estratégia que já colocou mais de 2.000 empresas no capital de outras empresas no exterior.

"Actualmente, a estimativa do número de empresas portuguesas com participação no capital social de empresas no estrangeiro já deve ter ultrapassado as 2.000", refere a AICEP, numa publicação divulgada em Abril, sobre internacionalização "Aspectos a Acautelar num Processo de Investimento Directo de Portugal no Exterior (IDPE)". No mesmo documento, que serve de manual às empresas que querem ir lá para fora, a agência para o investimento revela, porém, que apesar da forte internacionalização, "o número de empresas estrangeiras com participação portuguesa no seu capital social é bastante superior".

Há até empresas nacionais com presença em mais do que uma empresa lá fora, diz a AICEP, citando o caso da PT e das empresas de construção civil e obras públicas, em particular, nos PALOP.

Estes números, que são meramente indicativos e resultam de estimativas e levantamentos feitos com base em informação facultada pelas delegações da AICEP, mostram que a "principal zona geográfica de destino do IDPE tem vindo a ser, ao longo dos anos, o espaço da União Europeia (antes do alargamento)". No entanto, as empresas portuguesas já estão a testar novos mercados como o Brasil, onde segundo "dados do Banco Central do Brasil, existiam em 2006 cerca de 660 empresas brasileiras com capital total ou parcialmente português a operar no mercado, garantindo cerca de 110 mil empregos". Nos PALOP, "em Moçambique estão instaladas mais de 250 empresas portuguesas, em Angola, mais de 200 e em Cabo Verde, mais de 100", revela o manual da AICEP. A importância das empresas portuguesas em Moçambique é visível, já que 28 das 100 maiores empresas daquele país têm capital português.

O Magreb (em especial Marrocos e Tunísia), os países de Leste (Polónia e Roménia) e a China também já são destinos a considerar num processo de internacionalização.

Precauções a tomar

- Comparar risco
Ter sempre presente a percepção de risco do país/mercado externo comparativamente com o mercado doméstico.

- Conhecer o mercado
Conhecer bem o mercado de destino: organização, as regras de funcionamento, os gostos do consumidor, o poder de compra, canais de distribuição.

- Risco político
Nos países com risco político prever estratégias de defesa da subsidiária, as quais passam, por exemplo por, obter financiamento em moeda local, desenvolver a capacidade de ‘lobby' e ser politicamente neutral.

- Apoio jurídico
Contratar assistência jurídica, para matérias de direito laboral e fiscal, em particular nos mercados onde o mercado legal é mais complexo.

- Registar marcas
Procurar registar sempre marcas e patentes de produtos, previamente.

- Evitar dupla tributação
Informar-se sobre a existência de uma Convenção celebrada entre Portugal e o país do mercado de destino, para evitar a dupla tributação e a evasão fiscal.

fonte