Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

VOLVO OCEAN RACE

Uma noite de raios e coriscos na rota para Lisboa

Depois de uma noite de tempestade na rota ao largo da costa este dos Estados Unidos, com ventos de 35 nós, apenas o líder francês Groupama escapou do temporal tropical Alberto, que se moveu para sudeste e apanhou a frota em cheio. As equipas tiveram de lidar com a tormenta durante 12 horas. Agora a frota já marca rumo agora para este no Atlântico Norte, com boas velocidades, com os franceses a somar 26 milhas de avanço, os americanos do PUMA em 2.º lugar e o Team Telefónica no 3.º posto.

«Foram 12 horas caóticas, com ventos fortes e ondas grandes, que colocaram as tripulações em modo de sobrevivência. A tempestade alterou o curso e de repente estávamos no meio dela, a navegar com três rizes na vela grande e uma vela de proa pesada.», contou Ian Walker, skipper do Abu Dhabi, em 4º lugar, que esteve preocupadíssimo com os raios e relâmpagos que atingiam o mar. Walker contou ainda que alguns tripulantes a bordo estão a sofrer com dores nas costas, devido às várias mudanças de vela, e um deles chegou mesmo a ter um corte na testa quando caiu no convés.

Depois da batalha contra os elementos naturais, os navegadores conseguiram escapar ao pior da tempestade e reajustar a rota em melhores condições, com ventos mais fracos e mar mais calmo.

Os franceses do Groupama, ao darem uma cambadela mais cedo, não sofreram com o mau tempo e chegaram mesmo a ganhar um avanço de 70 milhas que, entretanto, já se desvaneceu para apenas 18, 4 milhas, enquanto o PUMA ultrapassou o Team Telefónica. O CAMPER/ETNZ perdeu 25 milhas durante a travessia do temporal e está agora em 5º lugar, 48 milhas atrás do líder, e o Team Sanya segue em último lugar, a 52 milhas do líder.

Agora, com as condições meteorológicas mais amenas as equipas estão a dar prioridade para a alimentação e algum descanso. Esta manhã, a frota já está a registar velocidades entre 18 e 19 nós, sob ventos sudoeste com 15 a 19 nós.

22.05.2012
Foto – Nick Dana/Abu Dhabi

fonte
 







Artigos relacionados:

  • «Ciência Viva» na Volvo Ocean Race
  • «Volvo Ocean Race» já começou
  • Porto de Lisboa requalifica Pedrouços para grandes eventos náuticos
  • Tejo recebe Dakar dos mares
  • Nova marina vai custar 10 milhões