Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.

Notícias

A NATO no 25 de Abril de 1974

O exercício NATO denominado «Dawn Patrol» deveria ter início a 25 de Abril de 1974, com a participação de uma fragata portuguesa do tipo Dealey, o NRP Gago Coutinho. A força da NATO tinha-se junto em Lisboa para uma estada de dois dias e entre os navios da força estavam fragatas e contra-torpedeiros da Marinha Real do Canadá.
Muitas das fotos tiradas ao rio Tejo para ilustrar a acção da fragata Gago Coutinho, são na realidade fotos onde se vêem navios da força da NATO, nomeadamente o contratorpedeiro Huron.

O comando da força passou durante a estada de dois dias em Lisboa da fragata canadiana Yukon, para a fragata Annapolis, do mesmo país. Com vários navios no rio Tejo, a esquadra do Canadá, era a força militar com maior poder de fogo na região de Lisboa.

Durante a manhã de 25 de Abril, os navios da NATO preparavam-se para zarpar e saíram das suas posições (atracados no porto) para fundear no rio Tejo, em preparação para a saída.
A movimentação de navios, decorreu ao mesmo tempo que evoluía a situação no Terreiro do Paço, com as viaturas blindadas a tomar posição na Av. Ribeira das Naus e na Rua do Arsenal.
Muitas das fotos tiradas na altura mostram por isso navios da NATO e não a fragata Gago Coutinho.
Os navios da NATO só saíram de Lisboa por volta das 11:00 da manhã, tendo a fragata portuguesa ficado no Tejo.

Um dos navios da marinha do Canadá a fragata «HMCS Assiniboine» (um navio do tipo Whitby) era suposto ficar no Tejo mais um dia, porque tinha chegado com um dia de atraso. Às 10:25 da manhã, o comandante do navio com um grupo de militares foi a terra, para contactar a embaixada do Canadá e pedir instruções sobre a eventual necessidade de apoiar uma operação de evacuação se a situação degenerasse para a violência.
Embora considerando que não havia perigo para os cidadãos do Canadá, não havia no entanto clima para o navio ficar mais um dia, pelo que a fragata largou por volta das 15:00 tendo cruzado a barra do Tejo alguns minutos depois.

Curiosamente, também uma aeronave da marinha daquele país, estava na base do Montijo e com o encerramento do espaço aéreo não pode sair de Portugal.

Na foto de topo, o contratorpedeiro Huron, da marinha do Canadá, durante a manhã de 25 de Abril de 1974.

fonte


 

VISITE OS RECURSOS DA APLOP (ASSOCIAÇÃO DOS PORTOS DE LÍNGUA PORTUGUESA), NA WEB
 

 







Artigos relacionados:

  • Militares e Sociedade, Marinha e Política: um século de história
  • A Marinha no 25 de Abril de 1974: antecendentes
  • O 25 de Abril de 1974 na fragata «Almirante Gago Coutinho»