Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

CIEMAR-ÍLHAVO

Inauguração este sábado, 31 de Março

Este sábado, 31 de Março, vai proceder-se à inauguração do CIEMar-Ílhavo. Trata-se da primeira unidade de investigação a ser constituída em Portugal em estreita articulação com um Museu Marítimo e, desde logo, em articulação com as Universidades e centros académicos de investigação de reconhecida competência na área marítima, conferindo-lhe um carácter inovador e promissor.

A criação de um centro de investigação agregado ao MMI e dotado de funcionalidades arquivísticas, tecnológicas e formativas no domínio da cultura marítima, tem como objectivo principal impulsionar a dinâmica de investigação que tem sustentado o projecto do Museu, ampliando-a de forma competente e criativa e projectando-a em escalas mais amplas O edifício do CIEMar-Ílhavo resulta de uma profunda remodelação da antiga Escola Preparatória de Ílhavo, contígua ao edifício do Museu. O projecto arquitectónico pertence aos arquitectos João Almeida e Filipe Costa que optaram por linguagens simples e por um reaprovaitamento eficiente das qualidades do antigo edifício. Especialmente audaz é o pavilhão revestido a tabuado onde se irá instalar o centro de documentação do CIEMar-Ílhavo, parte do edifício que evoca a estética dos palheiros da Costa Nova.

O CIEMar-ÍLHAVO foi imaginado como estrutura aberta a uma vasta comunidade de públicos e ao estabelecimento de sinergias com diversas instituições e agentes de cultura e conhecimento; enquanto organização activa no processo de desenvolvimento local, regional e nacional; como organização relevante no processo de valorização social da maritimidade. O simples facto de se tratar da primeira unidade de Investigação a ser constituída em Portugal em estreita articulação com um Museu Marítimo e, desde logo, em articulação com as Universidades e centros académicos de investigação de reconhecida competência na área marítima, confere-lhe um carácter inovador e promissor.

Acresce o facto de o CIEMar-Ílhavo se constituir como unidade de investigação dotada de um centro documental de temática marítima de singular importância para diversas áreas científicas e culturais, de uma incubadora de empresas destinada á produção de conteúdos em cultura do mar e de um centro de formação orientado para a socialização educativa de temas de cultura marítima, perfil integrado absolutamente inexistente em Portugal e pouco comum em países estrangeiros.

Ao assumir a centralidade da investigação científica e cultural (aplicada e não-aplicada) na sua vocação, o CIEMar-Ílhavo estrutura-se em valências que se pretendem integradas na sua orgânica funcional e dinâmica, subordinando a sua natureza, não apenas a uma lógica patrimonialista, mas de empreendedorismo cultural e de educação científica.

O CIEMar-Ílhavo visa promover cultural e socialmente as actividades económicas relacionadas com a pesca e com a economia marítima, em geral, ancorando esse trabalho numa escala muito ampla – o Oceano –, mas sobretudo à escala do “mar português” e do complexo biogeográfico da Ria de Aveiro.







Artigos relacionados:

  • Lançamento do Prémio de Estudos em Cultura do Mar Octávio Lixa Filgueiras/MMI