Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

FAIAL, AÇORES

Porto do Salão

Este porto, de difícil acesso tanto pela terra como pelo mar, abrigava quatro botes, e obrigava os baleeiros a grande perícia tanto ao fazer arriar os botes como para os varar. Contou-me o Sr. Luís Borges, antigo baleeiro da freguesia do Salão, que os botes eram sempre varados pela ordem inversa à qual seriam arriados da próxima saída à baleia; a falta de espaço a isso obrigava. Então os baleeiros, de uma forma democrática, faziam rodar essa ordem, de forma que não fossem sempre os mesmos os primeiros a arriar o bote.

Contou-me o Sr. Luís que este esquema conduziu a algumas desventuras, pois para o segundo e seguintes botes saírem para o mar, o primeiro tinha de ser lançado para abrir caminho. Ora em dias de mau tempo, com o mar claramente a desaconselhar qualquer saída, o oficial do primeiro bote, picado pela competitividade, arriava a sua embarcação, para mais tarde não ouvir das outras companhas “eu não saí porque tu não saíste!”

fonte