Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

CRUZEIROS

Escalas do «Europa» nos Açores em risco

As escalas do navio de cruzeiros Europa em Ponta Delgada e na Madalena do Pico no dia 25 (em função do eventual cancelamento da escala em Ponta Delgada ou alteração de rota) poderão ser afectadas. Os navios Celebrity Constellation e MSC Orchestra já cancelaram as suas escalas para o dia 24 no Porto do Funchal. No porto de Lisboa a escala do navio de cruzeiros Horizon já não consta na listagem de escalas previstas, tendo também sido cancelada.


O Europa que inicia em Lisboa um cruzeiro de volta ao Mundo de 137, tendo os portos Açorianos como primeiras escalas desse itinerário. É actualmente classificado como o navio de cruzeiros mais luxuoso do Mundo, tendo sido alvo de renovações há poucas semanas.

Belmar da Costa advertiu que a paralisação geral marcada para dia 24 "pode colocar em causa a decisão dos armadores de fazerem escala nos portos nacionais", o que representa um prejuízo de milhões de euros.

Além disso, acrescentou, deixa de "fazer sentido todo o esforço e investimento financeiro para o setor", como o que tem sido feito nos portos de Leixões, Madeira e Açores.

"As greves afastam os navios e os armadores dos portos", e no caso do dia 24, milhares de turistas no território, o que em "termos económicos representam milhões de euros de entrada no país" provenientes de "cruzeiros em escala que não se repetem", referiu.

O representante dos agentes de navegação apelou "à responsabilidade dos trabalhadores do setor marítimo" para que no dia 24 sejam "prestados todos os serviços, aos navios de cruzeiro" que estarão de escala em território nacional.
 

CONTINUE A LER ESTA NOTÍCIA AQUI