Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.

Notícias

Privados poderão comprar entre 35% e 65% dos Estaleiros de Viana

Contactos com potenciais investidores, como é o caso da Martifer, já se iniciaram. Mas a permanência do Estado nos ENVC fez a empresa recuar.

O Governo poderá privatizar uma posição entre 35% e 65% nos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC), num modelo semelhante ao que esteve na base da privatização da OGMA - Indústria Aeronáutica de Portugal, em 2004. Esta é uma das propostas que a Empordef - ‘holding' das indústrias de defesa portuguesas que, entre várias participações, também controla a posição nos estaleiros de Viana - tem em cima da mesa e que deverá em breve apresentar ao ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco.

Fontes próximas do processo garantiram ao Diário Económico que "o modelo não está ainda totalmente fechado e fica sempre dependente da aceitação, ou não, por parte do ministro da Defesa". Certo é que, nesta proposta da Empordef, a percentagem a alienar está directamente relacionada com o tipo de parceiro que queira entrar no capital dos ENVC. Se o parceiro for meramente financeiro, o Estado deverá ficar com 65% dos ENVC - caso o parceiro já opere no mesmo sector, a participação pública pode ser de apenas 35% (como já acontece na OGMA).

O modelo em que será feita a escolha do parceiro, contudo, ainda está ainda por definir. No caso da privatização da OGMA (na altura, o ministro da Defesa era Paulo Portas), a escolha do investidor foi feita por negociação, uma vez que o Governo defendia ser a "melhor forma de defender o preço e o projecto industrial que cada candidato apresentasse para modernizar a OGMA".


 







Artigos relacionados:

  • Grupo italiano reforça lista de interessados nos ENVC
  • Estaleiros de Viana sem liquidez para pagar totalidade dos ordenados
  • Venezuela perfila-se como potencial parceiro dos Estaleiros de Viana do Castelo
  • «Não há milagres» nos Estaleiros de Viana
  • Trabalhadores dos Estaleiros de Viana garantem que empresa pode construir ferries para os Açores
  • Atlânticoline admite avançar com pedido para penhora aos ENVC
  • Atlânticoline relançou concurso para a construção de dois ferrys
  • Russos interessados nos Estaleiros
  • Lula da Silva admite interesse nos estaleiros de Viana do Castelo
  • Decisão sobre futuro dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo adiada para Outubro
  • A Ver Navios - DOCUMENTÁRIO DA SIC SOBRE OS ENVC
  • Entrada de grupo europeu pode ser solução para Estaleiros de Viana
  • Ferry «Atlântida» realizou provas de mar e já está em Lisboa
  • Galiza teme avanço de Viana do Castelo
  • Prejuízos de 20 anos consecutivos nos Estaleiros de Viana somam 179 milhões
  • Manutenção de iates de luxo? Ou infra-estruturas para energias renováveis?
  • Estaleiros de Viana são discutidos hoje no Parlamento
  • Estaleiros Navais de Viana do Castelo
  • Estaleiros Navais de Viana do Castelo - Filme de 1952
  • Brasil, eólica e navios militares entre os cenários de futuro dos estaleiros de Viana
  • «O transporte em navio Ferry entre Açores, Madeira e continente é viável»
  • Lançada petição para linha por navio ferry entre Ponta Delgada-Açores, Madeira e Continente