Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

NORMAS ENTRAM EM VIGOR A 1 DE JANEIRO DE 2013

Navios terão de reduzir poluição

A indústria naval e o sector de navegação terão de diminuir o consumo de energia dos seus navios e, por consequência, reduzir a libertação de poluentes e gases do efeito estufa na atmosfera, em especial o CO2, emitido pelas embarcações com a queima dos combustíveis. A determinação integra regulamentos instituídos nos últimos meses pela Organização Marítima Internacional (IMO), órgão das Nações Unidas que superintende a navegação comercial internacional. Essas normas entrarão em vigor a 1 de Janeiro de 2013.

Atualmente, o setor naval é responsável por cerca de 4% das emissões de CO2 no mundo, podendo chegar a 12% em 2050, segundo dados do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Estudo realizado pela Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, aponta que os navios liberam um volume de poluentes particulados equivalente à metade dapoluiçãoproduzidapelafrota mundial de veículos. São 1.100 toneladas de poluição particulada emitidas globalmente a cada ano.

Para mudar esse cenário, o Comitê de Proteção ao Meio Marinho da IMO aprovou, em 15 de julho passado, duas regras principais. A primeira é que todas as embarcações com um peso bruto superior a 400 toneladas, encomendadas a partir de 1º de janeiro de 2013, deverão acompanhar a eficiência de utilização de seu combustível e operar com o Índice de Design de Eficiência energética (Eedi, na sigla em inglês), o que terá de ser certificado. Até então, os navios adotavam o Eedi (elaborado pelo mercado em 2009) de forma voluntária.

FONTE: CONEXÃO MARÍTIMA

 

 

efeito de estufa gases CO2 poluentes poluição ambiente







Artigos relacionados:

  • Calor global «perdido» pode estar indo para o fundo dos oceanos
  • Açores pretendem integrar rede europeia de abastecimento de navios com gás natural
  • Navio dedicado à eficiência energética em Viana do Castelo para transportar torres de aerogeradores
  • Transporte marítimo britânico não quer entrar no comércio de emissões europeu
  • Em 1935 o petróleo já era «o sangue do mundo»
  • Maersk Line ganha prémio Operador Marítimo Sustentável em Londres
  • Aprovado primeiro regulamento para as emissões gasosas da marinha mercante
  • Navios menos poluentes vão ter desconto de dez por cento na taxa de tonelagem, a partir de 1 de Julho
  • Centros de dados do Google vão viajar pelos mares
  • Navio-escola SAGRES recebeu a Bandeira Azul em 2009
  • Cidadãos europeus podem visualizar, online, as principais fontes difusas de poluição atmosférica
  • Duas ilhas desaparecem do mapa
  • E-Ship 1 permite economia de combustível entre 30 a 40%
  • Poupar CO2 equivalente ao que é lançado por 600 mil carros que percorrem a distância de 100 KMS
  • Energias renováveis podem «alimentar» o mundo em 2050
  • A ameaça silenciosa
  • Novo navio-hotel lotado até 2015
  • MHI projecta porta-contentores gigante com casco «lubrificado a ar»
  • Livro Branco dos Transportes apresentado hoje, 28 de Março
  • Para todos os navios novos com mais de 400 GT
  • REVOLUCIONÁRIO NAVIO AMIGO DO AMBIENTE: «E-Ship1» pela terceira vez no Porto de Leixões