Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.

Notícias

SEQUESTRADO EM 2010 A CAMINHO DA BEIRA

Piratas somalis libertam o navio «MV PANAMÁ»

Piratas somalis libertaram terça-feira o navio “MV PANAMÁ” depois de receberem um resgate de 7 milhões de dólares, segundo noticia a “Voz da Rússia", citando um um dos piratas, que se identificou como Abdi.

Abdi declarou que a tripulação está livre e que o navio já deixou as águas da Somália. Não há informação sobre o estado de saúde dos marinheiros libertados.

O “MV PANAMÁ”, que tinha como destino o porto moçambicano da Beira, foi capturada a 10 de Dezembro de 2010 por um grupo de cinco piratas somalis, que se fazia transportar em duas lanchas rápidas, ao largo da costa tanzaniana junto à fronteira com Moçambique. Quando ocorreu o ataque, o navio, havia zarpado do porto de Dar-es-Salaam.

Para lograr os seus intentos, segundo o porta-voz da Força Naval da União Europeia – Somália (EUNAVFOR Somália), Per Klingvall, os piratas usaram lança-granadas durante o ataque ocorrido a cerca de 80 milhas náuticas (128 quilómetros) oeste da fronteira tanzaniana e moçambicana.

Na altura, foi considerado o segundo ataque no extremo sul da Tanzânia ocorrido naquele ano e visto como uma prova da expansão da actividade da pirataria no Oceano Índico.

O MV PANAMA, um navio para o transporte de contentores operado por uma companhia com sede nos EUA, transportava na altura do incidente 23 tripulantes, todos de nacionalidade birmanesa.

FONTE: RÁDIO MOÇAMBIQUE
 







Artigos relacionados:

  • Como é que a observação da Terra por satélites pode ajudar a aumentar a segurança marítima?
  • Países da SADC estudam cooperação no combate à pirataria
  • Índia no combate à pirataria marítima
  • Cada vez mais ex-militares portugueses combatem pirataria
  • Navio de guerra português partiu para o combate à pirataria no Corno de África
  • Wallenius terá guardas em navios que atravessam áreas de risco
  • Pirataria: escala de violência em crescendo
  • Fotos impressionantes do flagelo disponibilizadas pelo BOSTON GLOBE
  • Piratas irlandeses no GUINESS
  • Moçambique e Índia firmam acordo para combater pirataria
  • Mulheres-pirata na literatura
  • Noruega vai patrulhar o Canal de Moçambique já em Outubro
  • Piratas fazem quase 800 tripulantes reféns num ano
  • Custo económico da pirataria situa-se entre os 5 e 8 mil milhões de euros
  • NRP Vasco da Gama afugentou suposto navio-mãe pirata
  • EMSA desenvolve sistema de monitorização de navios na costa da Somália
  • Quem são os criminosos do mar hoje, por onde andam e o que fazem
  • Tintin inspira filme em 3D de Steven Spielberg
  • Filme português «A espada e a rosa» rodado na Caravela Vera Cruz
  • Prémio para a Bravura Excepcional no Mar
  • Gás-mostarda contra a pirataria
  • Fragata portuguesa a caminho da Somália para liderar combate à pirataria