Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

FAROL DO CABO MONDEGO - A FUNCIONAR DESDE 20 DE NOVEMBRO DE 1922

Simplicidade e simetria arquitectónica

A iniciativa de edificação do farol do Cabo Mondego data de 1835, ficando encarregue do projecto o engenheiro Gaudêncio Fontana, responsável pelo serviço de faróis nos meados do século XIX. A conclusão do projecto ocorreu apenas em 1858, já sob direcção de Francisco Maria Pereira da Silva, posteriormente designado Inspector dos Faróis. A torre então construída tinha 17,72 metros de altura, cujo topo suportava um óptico lenticular de Fresnel de 2ª ordem, cujo candeeiro era alimentado a azeite.

Durante a segunda metade do século XIX, o conjunto não foi substancialmente modificado, apresentando necessidades de renovação em 1902, ano em que se efectuou o Plano Geral de Alumiamento e Balizagem dos Portos e Costas Marítimas do Reino e Ilhas Adjacentes. Em 1916 elaborou-se uma proposta de reforma que mereceu parecer positivo por parte do Ministério da Marinha.

Foi a partir desse momento que se procedeu à construção do actual farol, iniciando-se em 1917 e concluindo-se em 1922 (inaugurado a 20 de Novembro desse ano). O conjunto edificado, harmónico, inclui uma torre central (de aproximadamente nove metros de altura) ladeada por dois corpos longitudinais, destinados a alojamento dos faroleiros e armazenamento de materiais.

No século XX, o farol foi beneficiado com algumas inovações técnicas, como sinais sonoros, electrificação geral e instalação de radiofarol. Em 1988 o foral autonomizou-se definitivamente, o que levou à supressão dos faroleiros. Em 2001 desactivou-se o radiofarol, como se encontra na actualidade.

FONTE:IGESPAR







Artigos relacionados:

  • Farol da Ponta da Ferraria inaugurado a 9 de Novembro de 1901
  • A Voz do Farol - Sentinela do Tejo
  • CACILHAS - O farol-ambulante
  • Sou como um anjo da guarda, num rio cheio de viagens...
  • Farol da Ponta da Serreta
  • Visite o Farol do Cabo Espichel
  • Lendas de Nossa Senhora do Cabo Espichel
  • Visite o Farol do Cabo Carvoeiro
  • O farol do outro Cabo Carvoeiro
  • Visite o Farol do Cabo Mondego
  • Morre Augustin Fresnel
  • Solo guardas tinieblas
  • Farol de Sines
  • O tapete vermelho cheio de luzes
  • Faroleiro Martins dixit
  • Visite o Farol do Cabo da Roca
  • O farol mais ocidental do continente europeu
  • A vida no farol do Cabo da Roca
  • Visite o Farol de Aveiro
  • O mais alto de Portugal e um dos mais altos do mundo
  • Visite o Farol do Penedo da Saudade
  • Visite o Farol de S. Vicente
  • Visite o Farol de Montedor