Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

AMERICAS'S CUP

O olho do grande marinheiro dava um programa de televisão

O i fez um tour pelos bastidores da America''s Cup WS e descobriu um estúdio de televisão dentro de contentores.

Vá para fora cá dentro. A visita ainda não tinha começado e já nos sentíamos protagonistas da conhecida campanha de incentivo ao turismo nacional. "Please, stay with the group!", pediu o guia, assim mesmo, em inglês. Estávamos em Cascais. Lá fora, as tripulações da America''s Cup World Series, obrigadas a ficar em terra firme depois de uma manhã atípica, discutiam o melhor plano para escapar à leve brisa vinda de sul. Lá dentro, Denis Harvey, o guia, explicava ao grupo que as novidades no mais antigo troféu do mundo não se ficam pelo formato da prova ou pelos novos catamarãs.

À vossa direita "Todas as provas são emitidas em directo na internet [no site da America''s Cup]. E estes contentores aqui à frente são uma estação de televisão", começou Denis, o responsável pelas emissões. Ninguém rodou o pescoço. A turma continuava atenta, de blocos de nota na mão e máquinas fotográficas ao peito. Helicópteros, barcos, câmaras a bordo, microfones, animações vistuais. Nada de novo, a audiência já sabia que a organização da America''s Cup se tinha esmerado para despertar o interesse do público para a vela. Denis precisou de empurrar a porta do primeiro contentor para perder o protagonismo: "Aqui à direita é onde recebemos as imagens captadas".

O olho gigante de um marinheiro. Foi assim que nos pareceu aquela sala forrada com monitores. Os mastros, as velas, a ondulação... podíamos jurar que estávamos em alto mar (e que existe enjoo por sugestão). Cada barco tem quatro câmaras a bordo, desenhadas para serem o mais ergonómicas e leves possível. As câmaras estão fixas ao barco, numa estrutura que lhes permite rodar em várias direcções, fazer zoom e limpar os salpicos da lente, para que o espectador não perca pitada. "Estes barcos foram desenhados a pensar nos meios de comunicação social", explicou Denis. Depois ainda há três helicópteros, câmaras na água e em terra... Em suma, material suficiente para uma disputa pelo horário nobre da televisão portuguesa.

À vossa esquerda "Aqui ao lado trabalham as equipas responsáveis pelo som e pelos gráficos", os contentores teimavam em não acabar, e Denis seguia com o mesmo entusiasmo. Era mesmo verdade, tínhamos ido para fora lá dentro. Trabalham cerca de 115 pessoas no núcleo de produção televisiva. E da mesma forma que os navegadores e as embarcações viajam pelo mundo, também estes estúdios saem em peregrinação sempre que há uma prova. A diferença é que o equipamento não chega a ver a luz do sol, nem a sentir a brisa do mar. Os contentores foram construídos na Austrália e desde aí que são transportados em navios.