Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

FAROL DO PENEDO DA SAUDADE

Inaugurado dois meses antes do naufrágio do Titanic

O capitão de fragata Francisco Maria Pereira da Silva, à data Inspector de Faróis, no seu levantamento de 1866, dos locais escolhidos para edificação de faróis de segunda e terceira ordem, ao longo da costa de Portugal, antevia a necessidade de erigir um farol na posição aproximada onde hoje se localiza o farol do Penedo da Saudade.

Em 1902, uma Comissão nomeada para o efeito, resolveu aceitar o ponto denominado Penedo da Saudade que dista 25,5 milhas do Cabo Mondego e 30,5 milhas da Berlenga, ficando numa posição intermédia entre os dois, tendo o terreno onde está o edifício do farol mais uma faixa de 10 metros de largura em redor, sido cedido pelas Matas do Reino.

O Farol do Penedo da Saudade entrou em funcionamento a 15 de Fevereiro de 1912, exactamente dois meses antes do naufrágio do Titanic; tem uma uma torre com 32 metros de altura e 55 metros de altitude. A fonte luminosa utilizada era a incandescência pelo vapor de petróleo. De Março de 1916 a Dezembro de 1919 o farol esteve apagado devido à Primeira Grande Guerra.

Em Julho de 1947, foi electrificado com a montagem de dois grupos electrogéneos. O farol começou a funcionar com incandescência eléctrica, sendo instalada uma lâmpada de 6000 watts, tendo em 1966 sido reduzida a potência da fonte luminosa e instalada uma lâmpada de 1500 watts.

MAIS DETALHES AQUI


Postal de 1976







Artigos relacionados:

  • Visite o Farol de S. Vicente
  • Farol de S. Vicente
  • Visite o Farol do Penedo da Saudade
  • Visite o Farol de Alfanzina
  • Farol da Ponta da Ferraria inaugurado a 9 de Novembro de 1901
  • A Voz do Farol - Sentinela do Tejo
  • CACILHAS - O farol-ambulante
  • Sou como um anjo da guarda, num rio cheio de viagens...
  • Farol da Ponta da Serreta
  • Visite o Farol do Cabo Espichel
  • Lendas de Nossa Senhora do Cabo Espichel
  • Visite o Farol do Cabo Carvoeiro
  • O farol do outro Cabo Carvoeiro
  • Visite o Farol do Cabo Mondego
  • Morre Augustin Fresnel
  • Solo guardas tinieblas
  • Farol de Sines
  • O tapete vermelho cheio de luzes
  • Faroleiro Martins dixit
  • Visite o Farol do Cabo da Roca
  • O farol mais ocidental do continente europeu
  • A vida no farol do Cabo da Roca
  • Visite o Farol de Aveiro
  • O mais alto de Portugal e um dos mais altos do mundo
  • Visite o Farol do Penedo da Saudade
  • Visite o Farol de S. Vicente
  • Visite o Farol de Montedor