Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.

Janela Única Logística

Notícias

62 MARINHEIROS PERDERAM A VIDA NOS ÚLTIMOS QUATRO ANOS

Pirataria: escala de violência em crescendo

Gangues somalis estão a elevar a pirataria a uma escala industrial - o número de marítimos mortos tem aumentado. 62 marinheiros perderam a vida nos últimos quatro anos, por meio de assassinato deliberado por piratas, o suicídio durante o período de cativeiro, a morte por desnutrição e doenças, a morte por afogamento, ou insuficiência cardíaca logo após o sequestro ", disse a organização SaveOurSeafarers SOS.

Os piratas estão a recolher milhões de dólares em resgates, são cada vez mais violentos, e capazes de ficar no mar por longos períodos e em todas as condições meteorológicas utilizando navios mercantes capturados como naves-mãe.

A SOS disse que dois marinheiros foram mortos em 2007 como resultado de ataques de piratas, acrescentando que a pirataria piorou desde então.

A patrulha das marinhas internacionais têm-se revelado incapaz de conter os ataques no oceano Índico, devido à grandes distâncias envolvidas. "É a inação do governo que permitiu que a pirataria entre numa espiral fora de controle nesta área, ", disse SOS. "É hora de parar este ultraje. É tempo de os governos a agirem."

A SOS recorda que durante o período de quatro anos, mais de 3.500 marítimos tinha sido sequestrados e mantidos reféns pelas gangues de piratas, que os usaram como escudos humanos e forçaram as tripulações a operar os navios-mãe.

"Centenas destes marítimos foram submetidos a horríveis torturas, inclusive pendurados pelos tornozelos e fechados nos congeladores, com braçadeiras apertadas rodeanda os órgãos genitais, sendo espancados, e sofrendo socos e pontapés", disse o presidente da SOS, Giles Heimann.

"Muitos desses marítimos ficarão traumatizados e incapazes de regressar às suas carreiras marítimas muito tempo depois do sequestro".

FONTE: CARGO

 







Artigos relacionados:

  • Fotos impressionantes do flagelo disponibilizadas pelo BOSTON GLOBE
  • Piratas irlandeses no GUINESS
  • Moçambique e Índia firmam acordo para combater pirataria
  • Mulheres-pirata na literatura
  • Noruega vai patrulhar o Canal de Moçambique já em Outubro
  • Piratas fazem quase 800 tripulantes reféns num ano
  • Custo económico da pirataria situa-se entre os 5 e 8 mil milhões de euros
  • NRP Vasco da Gama afugentou suposto navio-mãe pirata
  • EMSA desenvolve sistema de monitorização de navios na costa da Somália
  • Quem são os criminosos do mar hoje, por onde andam e o que fazem
  • Tintin inspira filme em 3D de Steven Spielberg
  • Filme português «A espada e a rosa» rodado na Caravela Vera Cruz
  • Prémio para a Bravura Excepcional no Mar
  • Gás-mostarda contra a pirataria
  • Fragata portuguesa a caminho da Somália para liderar combate à pirataria