Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

OS GRANDES RIVAIS

«Infante D. Henrique» versus «Príncipe Perfeito»

Concebidos para se rivalizarem, os dois navios tinham características semelhantes. Por um lado, o Infante D. Henrique (acima) media 195,6 metros de comprimento e possuía 24.400 toneladas de deslocamento com alojamentos para 1.020 passageiros sendo 160 em primeira classe e 860 nas outras classes. O Príncipe Perfeito, por sua vez (imediatamente abaixo), media 190,4 metros de comprimento e possuía 20.200 toneladas de deslocamento com alojamentos para 1.000 passageiros: 200 em primeira classe e 800 nas outras classes.

Numa das raras condescendências ao mundo novo, menos tolerante a uma estratificação social tão vincada, a segunda e terceira classe dos navios passaram a designar-se pelos eufemismos de turística A e turística B. Dá-se a casualidade de ter sido passageiro dos dois, em viagens entre Lourenço Marques e Lisboa. Tendo viajado como júnior não os posso comparar devidamente, embora quem o pudesse fazer destacasse o carácter mais imponente dos espaços e das decorações do Infante D. Henrique, embora preferisse o Príncipe Perfeito, mais acolhedor.

LEIA A VERSÃO INTEGRAL DO TEXTO DE A. TEIXEIRA, AQUI







Artigos relacionados:

  • D. João II - O Rei que deu o nome ao paquete
  • A vilegiatura marítima
  • Lançado à água em 1960, era uma das jóias da coroa da CCN
  • Os últimos dias
  • Família Oliveira a bordo do Paquete «Infante D. Henrique» [VÍDEO]
  • Álbum de recordações
  • Paquete Príncipe Perfeito - Baptismo e lançamento à água (1960)
  • Paquete Príncipe Perfeito | Férias no Mar (1971)
  • Paquete Príncipe Perfeito - Chegada a Lisboa (1968)