Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.

Janela Única Logística

Notícias

PORTO DE LISBOA

APL apresentou estudo sectorial a integrar no Plano de Ordenamento do Estuário do Tejo

No âmbito da elaboração do Plano de Ordenamento do Estuário do Tejo, promovido pela Administração da Região Hidrográfica do Tejo, a Administração do Porto de Lisboa (APL) apresentou, nos passados dias 16 e 29 de Março no Barreiro e em Cascais, respectivamente, o estudo sectorial, em curso, na vertente da náutica de recreio, desporto e turismo, a integrar no Plano de Ordenamento do Estuário do Tejo (POET).

O estudo sectorial desenvolvido pela APL incide sobre a implementação de rede de infraestruturas, equipamentos e facilidades de apoio à náutica de recreio no estuário do Tejo.

No âmbito do estudo sectorial, a APL fez o levantamento da situação existente e propõe, entre outras medidas, uma rede com 12 tipologias de infraestruturas, detalhada por concelho. Melhorar e reconverter o existente, criar novas infraestruturas de “gama alta”, melhorar as instalações de acesso à água na “gama baixa” e promover actividades económicas complementares são algumas das prioridades apresentadas pela APL no referido estudo.