Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.

Janela Única Logística

Notícias

ALMIRO MATOS COSTA:

«O transporte em navio Ferry entre Açores, Madeira e continente é viável»

O primeiro subscritor da Petição Pública “Linha marítima para passageiros entre os Açores, Madeira e Continente” , Almiro Matos Costa, afirmou ao ‘Correio dos Açores’ “acreditar” que “é viável a operação de navios ‘Ferry’” da Região para o Funchal e Europa.

A petição, que está a ter uma grande adesão, ultrapassou as 400 assinaturas e pretende chegar às mil, é ainda assinada por Maria da Cunha Bettencourt , responsável pelo Blogue ‘O Porto da Graciosa’ e por Paulo Jorge Melich Farinha, responsável pelo Blogue ‘Farinha-ferry’.

Na petição, que os seus promotores pretendem entregar ao presidente do governo dos Açores, Carlos César, afirma-se que os Açores são as únicas ilhas europeias sem beneficiar de um serviço de Ferrys, “não podendo assim usufruir de uma auto-estrada marítima natural que atenuaria a descontinuidade territorial com o Continente europeu”.

Almiro Costa considera ‘inaceitável’ que os Açores estejam a ficar de fora da auto-estrada marítima já existente por navio Ferry, entre o Continente, Madeira e Canárias . “É uma exclusão de uma alternativa de transporte de mercadorias que se está a revelar cada vez mais importante para o desenvolvimento económico devido a diminuição dos custos de transporte de mercadorias e sua consequente facilidade e versatilidade (nomeadamente com a utilização de toda a diversidade de veículos nas rampas RO-RO e consequente diminuição de custos de carga e descarga ).

Sublinha, por outro lado, que se está “a desprezar” na Região uma alternativa ao transporte Aéreo, de que os Açores são “completamente dependentes”. Em seu entender, a Região “está a perder com esta exclusão fluxos turísticos de famílias que poderiam deslocar-se a São Miguel com viatura própria, que fazem férias sem recorrer a agências de viagem mas que consomem mais na economia real”.

CONTINUE A LER A NOTÍCIA AQUI