Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

TCL «aluga» terminal Multiusos de Leixões

O TCL vai utilizar parte do terrapleno do Terminal Multiusos de Leixões para parquear contentores, apurou o TRANSPORTES & NEGÓCIOS. O acordo com a APDL prevê o pagamento de uma renda pela utilização do espaço igual à praticada no terminal de contentores.

 

O novo terminal multiusos de Leixões dispõe de um terrapleno de cinco hectares. O acordo entre o TCL e a APDL prevê a ocupação de três hectares. “Pelo menos para já”, não está prevista a operação de navios no local (o terminal dispõe de um cais com 155 metros de comprimentos e fundos de -8,5 metros).

 

O espaço será antes usado para parquear contentores, suprindo as limitações de espaço que cada vez mais se fazem sentir no terminal de contentores Sul, avançou Lopo Feijó ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS.

 

Para tornar operacional o espaço, o TCL projecta deslocar para o terminal Multiusos pessoal e equipamentos de movimentação de cargas, “além do que teremos de investir na extensão da infra-estrutura de comunicações que temos nos nossos terminais até àquele extremo do porto”, acrescentou o administrador do TCL.

 

A separação física entre os dois espaços é um sério inconveniente, porque “nos obriga a “passear” os contentores pelo porto, lamenta Lopo Feijó, mas trata-se de “uma solução de recurso, que poderá tornar-se ainda mais útil quando se avançar com as obras de ampliação do terminal de contentores Sul”.

 

O acordo entre o TCL e a APDL é válido por períodos de um mês automaticamente renováveis. A concessão do terminal Multiusos não está nos planos imediatos da administração portuária, até porque a obra foi feita com financiamento comunitário, o que imporá algumas restrições temporais.

 

O TCGL, concessionário dos terminais de granéis sólidos e carga geral de Leixões, foi quem “estreou” o terminal Multiusos, tendo ali operado um navio carregado com 744 toneladas de madeiras exóticas.

 

Ao que o TRANSPORTES & NEGÓCIOS apurou, o TCGL terá chegado a um entendimento com a APDL semelhante ao do TCL, ficando com os restantes dois hectares de terrapleno disponíveis.

 







Artigos relacionados:

  • TCL vai instalar mais um pórtico de cais e outro de parque