Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

China é já quinto maior mercado da Autoeuropa

A China passou a ser, no ano passado, o quinto melhor mercado para as exportações da Autoeuropa, face ao nono e décimo lugares que ocupava anteriormente, devendo este ano ascender a terceiro ou quarto maior comprador da fábrica da Volkswagen em Palmela.

A notícia foi avançada pelo director-geral da empresa, António de Melo Pires, durante a apresentação à imprensa dos resultados de 2010 e perspectivas para 2011 da fábrica, que no ano passado ultrapassou, pela primeira vez nos últimos sete anos, a produção de 100 mil veículos.

Apesar de 2010 ter sido um ano "muito atribulado" com o lançamento de três novos veículos - os novos Volkswagen Sharan e Seat Alhambra e o também renovado EOS -, 2010 fechou "com um resultado excelente", frisou Melo Pires, com a produção a atingir 101 284 veículos, mais 18% do que no ano anterior, voltando a ultrapassar a barreira das 100 mil unidades, o que já não acontecia desde 2003, quando saíram de Palmela 109 647 veículos.

O volume de negócios cresceu ainda mais, alcançando 1,646 milhões de euros e ficando 26,7% acima de 2009. Apesar do crescimento do mercado português, com uma quota de 1,4% e uma facturação 7% superior a 2009, a esmagadora maioria dos veículos montados na Autoeuropa seguiu para exportação (98,6%). Embora com uma queda de 9% do número de veículos vendidos à Alemanha, em resultado da crise, este país mantém-se o principal mercado, com uma quota de 27,9% da produção. A grande alteração foi a China, que absorveu 6,8% da produção, passando para o quinto lugar na lista dos maiores compradores da Autoeuropa, quando apenas um ano antes ainda ocupava a nona posição. E, em 2011, com a introdução naquele mercado também do Sharan, é esperado que suba para o "terceiro ou quarto lugar, a confirmar-se a tendência dos últimos meses", afirmou o director-geral.

 Melo Pires prevê um novo aumento da produção este ano na unidade de Palmela, que com uma capacidade para 200 mil veículos ainda está a meio gás, mas considera que "é muito cedo" para avançar um número. As prioridades para 2011 são melhorar a competitividade, com o envolvimento dos fornecedores portugueses que respondem já por 58% de incorporação nacional, e aumentar a flexibilidade do sistema de transportes para reduzir os tempos de trajecto e custos.


2011-01-13 09:56
Eduarda Frommhold, Diário de Notícias