Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.

Janela Única Logística

Notícias

FERROVIA AJUDOU INFRA-ESTRUTURA PORTUÁRIA A CRESCER 30% EM 2010

Comboio no Porto de Aveiro tirou 5381 camiões da estrada

O comboio do Porto de Aveiro transportou 123 mil toneladas nos primeiros oito meses de vida, contribuindo para o crescimento de 30% da infra-estrutura em 2010, noticia o JN na edição de 20 de Dezembro. A ferrrovia aliviou igualmente as vias rodoviárias, retirando 5381 camiões da rota do porto.

Mais de 123 mil toneladas de mercadorias foram transportadas através da nova linha ferroviária para o Porto de Aveiro (APA), nos seus primeiros oito meses de funcionamento. A ligação entrou em funcionamento a 29 de Março último e já representa 4,13% dos transportes, de acordo com os dados divulgados pela Administração do Porto de Aveiro (APA). Até final de Novembro, a ferrovia permitiu retirar das estradas 5381 camiões, baixou os custos logísticos de exportação e alargou a área de influência do porto.

Em média, são três comboios que percorrem, diariamente, os nove quilómetros que unem o PA à plataforma multimodal de Cacia, transportando, sobretudo, pasta de papel, aglomerado de madeira, cereais e cimento. Os destinos são maioritariamente o norte de África, Cabo Verde (cimento) e norte da Europa.

José Luís Cacho, presidente da APA, afiança que a aposta na ferrovia "superou as expectativas". "Neste momento somos o terceiro porto do país a fazer movimentação de mercadoria ferroviária", atrás de Setúbal e Sines. O objectivo é que, "em cinco anos, a ferrovia atinja 15% do movimento portuário".

"Foi um investimento público que se está a tornar produtivo e com o tempo se tornará mais reprodutivo, porque as empresas vão querer exportar mais", diz José Luís Cacho, considerando que, sem a criação da ferrovia, o crescimento do porto, que, contrariando o panorama nacional, em 2010 deverá atingir os 30%, teria sido "muito mais débil". "Admito que, sem a ferrovia e a obra de acessibilidade marítima que queremos criar no próximo ano - prolongamento do molhe norte em 200 metros e afundamento de cota - a viabilidade do PA seria posta em causa. Todo o investimento que está aqui não poderia ser rentabilizado", diz ao JN.

A ferrovia tem ajudado, acima de tudo, a potenciar as exportações, pois é usada, maioritariamente, para transportar cargas para o PA e muito menos para distribuir cargas que tenham chegado por via marítima. José Luís cacho é peremptório: "As exportações aumentaram significativamente, o que mostra que temos um papel importante no crescimento da economia nacional".

O caso da empresa Secil - Companhia de Cal e Cimento Lda., de Leiria, que apenas conseguiu começar a exportar sacos cimento branco, com destino ao Brasil e Marrocos, devido à construção da ferrovia de ligação ao PA, é exemplificativo.

O administrador do porto sabe que para as empresas mais próximas a ferrovia pesa pouco, "mas para quem está a mais de 100 km faz sentido". É a solução, diz Cacho, para o porto chegar à região de Castela e Leão, em Espanha, "sem isso não conseguíamos alargar a nossa área de influência".
 
LEIA A NOTÍCIA DO JN NA ÍNTEGRA (formato pdf)

FONTE: JORNAL DE NOTÍCIAS
FOTOS: Jaimanuel Freire