Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

2 DIAS 2 PORTOS

APSS e APLOG organizam evento logístico

O Porto de Setúbal foi palco do evento da “2 Dias 2 Portos” numa organização conjunta da APSS – Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA e da APLOG – Associação Portuguesa de Logística”. A iniciativa que decorreu a 23 de setembro, no auditório da APSS, permitiu que os participantes assistissem a uma sessão de formação e informação sobre o porto e visitassem os terminais portuários.

Raul Magalhães, presidente da APLOG, deu as boas-vindas ao grupo e relevou a importância deste tipo de eventos, tendo em conta que o sistema portuário, em constante crescimento e mudança, é a “espinha dorsal” da nossa atividade económica. Reforçou ainda que partilhar conhecimento do presente e dos projetos futuros com os agentes relacionados com a atividade, nomeadamente da área da logística, é crucial.

A apresentação da estratégia do Porto de Setúbal, dos seus investimentos e projetos, esteve a cargo de administrador da APSS, Carlos Correia, durante a qual deu nota da dinâmica e resiliência do porto, que se estende à Comunidade Portuária e à colaboração com a Câmara Municipal de Setúbal, com resultados muito positivos. Deu ênfase à importância de projetos já concluídos, como a melhoria das acessibilidades e a Janela Única Logística, divulgou projetos já em desenvolvimento, como a eletrificação da ferrovia até ao interior dos terminais, e apresentou os projetos futuros como a expansão do Terminal Ro-Ro e a ampliação do Terminal Sapec.

O diretor de Negócio Portuário e Logístico da APSS, Vítor Caldeirinha, falou sobre a vertente de inovação e sustentabilidade do Porto de Setúbal, sustentado em três premissas: desenvolvimento social e económico da região e proteção do ambiente; eficiência e produtividade nas operações no porto e eficácia através da satisfação das cadeias de abastecimento. Como parte desse objetivo, remarcou a necessidade de prever, alinhar e projetar, dentro desses vetores essenciais, atempadamente, o desenvolvimento do porto e a sua modernização, dando como exemplo a construção de uma infraestrutura pesada como um terminal, que tem um tempo dilatado de concretização, desde o projeto à execução, de cerca de dez anos.

Porfírio Gomes, presidente da Comunidade Portuária de Setúbal, desenvolveu o conceito da atividade portuária, que visa um fim bem definido: a facilitação da expedição e receção de carga nos portos, uma atividade ligada necessariamente por uma rede logística que se pretende eficiente e competitiva e alicerçada pela sinergia dos diferentes papéis desempenhados por distintos players, desde a administração portuária, município, agentes, operadores, parques logísticos, entre outros. Para este fim, realçou a importância de dois projetos já finalizados, a melhoria dos acessos marítimos e, o pioneirismo do Porto de Setúbal, o primeiro utilizar em pleno a Janela Única Logística.

Sofia Amaro Martins, da Associação de Municípios da Região de Setúbal, enalteceu a oportunidade de os municípios participarem em eventos ligados à atividade portuária, assumindo-se como parceiros dos portos e cientes da importância dos mesmos para a criação de riqueza nos nove concelhos da região, como aliciadores de investimento e ajudando a fixar a população entre as margens dos rios Sado e Tejo. Afirmou que apesar da forte presença de grandes empresas exportadoras, há ainda um enorme potencial por explorar, “hoje as realidades de base regional tendem a afirmar-se como espaços socioeconómicos nos quais podem definir-se estratégias com suficiente autonomia e especificidade que se revelam como casos de enorme contributo para o todo nacional”.

O presidente do Instituto Politécnico de Setúbal, Pedro Dominguinhos, deu como ponto chave, a convicção do IPS de que qualquer estratégia que seja adotada para uma região, jamais será feita sem ser em ecossistema, ou seja, abrangerá sempre um conjunto de parceiros, num clima de diálogo e trabalho em conjunto, e uma das missões do instituto é trabalhar com a região. Pedro Dominguinhos reforçou ainda que o facto do IPS estar na região de Setúbal, em termos de formação, significa estar perto das necessidades e dar respostas eficazes e customizadas, adaptadas como solução de qualificação certificada aos desafios nas diferentes áreas, num contexto de ecossistema.

2 Dias 2 Portos, terminou o seu primeiro dia com a visita aos terminais portuários onde o grupo pode “in Loco” observar algumas das ideias transmitidas durante a sessão teórica.