Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

MADEIRA

Navios de cruzeiros em Novembro se a situação da pandemia o permitir

O movimento de navios de cruzeiros nos portos da Madeira deverá ser retomado em Novembro, mas tudo dependerá da situação internacional da pandemia da covid-19, afirma o Presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque. O governante madeirense falava durante uma visita a várias obras de beneficiação que foram realizadas no Porto do Funchal, no valor de 5,2 milhões de euros, nomeadamente o reforço de segurança do cais sul e instalação de novos cabeços de amarração de navios com capacidade de carga superior a 150 toneladas.

Na altura, Miguel Albuquerque apresentou ainda a nova gare do cais norte, no valor de 800 mil euros, cujas obras começarão em novembro. “Estamos a preparar tudo para quando for possível ter o recomeço desta atividade importante para nós”, declarou, lembrando que em 2019 o Porto do Funchal recebeu 585.000 turistas, cujo impacto na economia da cidade está estimada em 50 milhões de euros. Realçando que todos os passageiros passarão a viajar com teste realizado e que os navios passarão a ter uma secção para a covid-19, Miguel Albuquerque realçou, contudo, que o problema é saber como proceder quando um passageiro desembarca num país com transmissão comunitária ativa. “Como volta para o barco”, questionou. O Governo Regional já investiu 600 mil euros na política de controlo à chegada aos portos do arquipélago.

fonte