Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

PARTENON DOS NAUFRÁGIOS

Grécia abre o seu primeiro museu arqueológico subaquático

A Grécia abriu o seu primeiro museu arqueológico subaquático, que reúne um conjunto de ânforas do século V a.C e que foi batizado como o “Partenon dos Naufrágios”, na costa da ilha de Alonissos, no Mar Egeu.

A partir de agora, o Governo grego permitirá que mergulhadores certificados possam aceder à herança subaquática do país, depois de converter o naufrágio de um navio de carga neste museu debaixo de água, conta o diário britânico The Guardian.

A atração turística e cultural estará disponível para visitas até 2 de outubro, de acordo com o mesmo jornal.

A um profundidade de 28 metros, os mergulhadores mais curiosos poderão ver um navio afundado há cerca de 2.500 anos, carregado de quase 4.000 ânforas – vaso ladeado por duas “asas” – que permanecem quase intactas apesar da passagem do tempo.

Para as pessoas que não preenchem os requisitos para efetuar o mergulho, o museu helénico oferece um projeto que permite fazer a viagem em realidade virtual.

O naufrágio Peristera, assim batizado depois de a ilha de Alonissos, onde foi descoberto, ter ficado desabitada, representa um grande navio mercante de Atenas que afundou em meados de 425 a.C devido ao mau tempo. O diretor das autoridades subaquáticas da Grécia, Pari Kalamara, precisou aos média locais que a embarcação carregava milhares de ânforas de vinho Calcídica, no norte do paós e nas ilhas de Skopelos.

Foi em 1985 encontrado por um pescador na costa de Peristera. Tem 25 metros de comprimento, dimensões que levam os historiadores a acreditar que este é o maior navio já descoberto debaixo de água, segundo frisa a Russia Today.

“Mostrámos à Humanidade o Partenon dos Naufrágios”, disse o governador da região da Tessália, à qual Alónissos pertence, Kostas Agorastos, em entrevista à ERT.

Outros três naufrágios encontrados no Golfo Pagasético, na Grécia central, também fazem parte deste projeto, incluido num programa financiado pela Comissão Europeia que visa tornar a região num local arqueológico subaquático.

ZAP //