Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

29 de Fevereiro, às 21h, na Sala de Cinema do CC Malaposta

MAR DE SINES - A RESILIÊNCIA DAS GENTES DO MAR

Sines, complexo industrial e porto atlântico. Os contornos dos grandes navios no horizonte já se tornaram uma imagem familiar. Mas, por entre estes gigantes, resiste uma geração que representa a pesca tradicional e resiliência de uma atividade que teima em resistir à passagem do tempo. Entre tradição e inovação, a pesca continua a ser em Sines uma força viva.

Durante um ano, a equipa de Mar de Sines percorreu esta costa e conviveu diretamente com as suas comunidades costeiras, registando a forma como estas vivem com o mar e os seus recursos.
O mar é o ponto de atracção para onde todos os protagonistas convergem. Este mar é simultaneamente o adversário a enfrentar e a figura paternal que dá o sustento.

O filme parte à procura das estratégias que estas comunidades adotaram para viver de um meio inacessível e inóspito. Desde uma simples jangada de canas, passando pelos mariscadores e pelas artes mais complexas, como a rede de tresmalho e o cerco, descobrimos a importância dos gestos, das sonoridades e dos artefactos que hoje se encontram no limiar da existência, como a zinga, o chui, o ribileva, os alcatruzes de barro ou os caixotes de aparelho.

Partindo da memória coletiva, narrada na primeira pessoa, num processo de cinema com a comunidade, são retratadas três gerações que fizeram da pesca a sua vida.

mais detalhes