Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Unidade de Controlo Costeiro de Aveiro da GNR faz doação de pescado apreendido

A Unidade de Controlo Costeiro, através do Subdestacamento de Controlo Costeiro de Aveiro, apreendeu na Gafanha da Nazaré seis toneladas de sardinha e 500 quilos de biqueirão com o valor total de 50 mil euros.

“Numa ação de fiscalização, com o objetivo de controlar o cumprimento das regras do regime de primeira venda em lota do pescado fresco no Porto de Pesca Costeira de Aveiro, os militares detetaram diversas dornas abandonadas no cais de descarga da lota, que continham pescado. No momento da fiscalização foi elaborado o respetivo auto de contraordenação por não sujeição do pescado ao regime de primeira venda em lota, uma infração que está sujeita a uma coima que pode atingir os 44 891 euros”, revela a GNR em comunicado.

O regime de venda de pescado fresco “prevê que a primeira venda seja, obrigatoriamente, realizada em lota, pelo sistema de leilão”.

A base deste regime “assenta, sobretudo, na intenção de se manter e preservar um mecanismo regulador de preços neste sector, pela concentração da oferta e da procura, acautelando o cumprimento das cotas de captura, estalecidas com vista à sustentabilidade das espécies e pelo controlo higiossanitário do pescado”, revela ainda a GNR.

O pescado apreendido foi sujeito a verificação higiosanitária e doado a instituições de solidariedade social.

fonte

VISITE OS RECURSOS DO PORTO DE AVEIRO NA WEB

~ ~ ~ ~