Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

ESCLARECIMENTO

Projecto de Melhoria das Acessibilidades Marítimas ao Porto de Setúbal

Estão em curso um conjunto de intervenções no âmbito do Projeto de Melhoria da Acessibilidades Marítimas ao Porto de Setúbal, cumprindo integralmente o disposto na autorização emitida pela APA- Agência Portuguesa do Ambiente - recebida na APSS em 13/03/2019.

Estas intervenções contemplam as seguintes ações:
• Preparação do local que servirá de apoio a todas as operações;
• Remoção de um afloramento arenítico, junto ao terminal de contentores;
• Transporte da pedra para a construção da estrutura de contenção do aterro que irá ser realizado na zona adjacente ao Terminal Ro-Ro.

A remoção do afloramento arenítico comummente designado por “Bico da Parvoíça” foi prevista no projeto de execução e no Estudo de Impacte Ambiental (EIA), tendo este sido objeto de Avaliação de Impacte Ambiental (AIA) e de Declaração de Impacte Ambiental (DIA) favorável, sem qualquer observação por parte da Comissão de Avaliação, quer no processo de AIA quer na DIA.
Importa ainda referir que este afloramento arenítico foi sendo, ao longo dos anos, assinalado nas cartas de navegação como de “perigo à navegação”, uma vez que as cotas médias neste troço do canal são de -14,00 m (ZH) e este afloramento no seu extremo superior tem a cota de -12,00 metros (ZH), sendo suscetível de pôr em risco a segurança das embarcações.