Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Reunião Anual da ICCAT 2018

Portugal participou de 10 a 19 de novembro, em Dubrovnik, na 21ª Reunião Extraordinária da Comissão Internacional para a Conservação dos Atuns do Atlântico (ICCAT), relativa à gestão e conservação dos atuns no Atlântico para 2019.

Pela sua importância nas pescas portuguesas, destaca-se o atum rabilho, que foi alvo de um aumento de 9 % das possibilidades de pesca.

Esta espécie mostra agora excelentes sinais positivos de evolução, consequência de um plano de recuperação implementado, tendo sido adotada na referida reunião a recomendação para a implementação de um plano de gestão e de um regime de limitação da capacidade mais flexível. Assim, tal como Portugal vinha defendendo, será possível autorizar a frota palangreira portuguesa a registar capturas acessórias até 20% das respetivas capturas de tunídeos e afins, quando atualmente só eram permitidas 5%. Além disso, as embarcações de salto e vara registadas nas Regiões Autónomas dos Açores e Madeira poderão passar a efetuar pesca dirigida ao atum rabilho, o que até agora estava vedado por não terem histórico de pesca deste stock.

Relativamente ao Atum Patudo, espécie com grande impacto nas pescas portuguesas, destaca-se a manutenção do TAC para 2019, nas 65.000 toneladas, bem como as atuais medidas de conservação.

Para as restantes espécies, designadamente, espadarte Norte, espadarte Sul, atum-voador Norte, atum-voador Sul, e espadim azul e espadim branco manter-se-ão igualmente os TACs e consequentemente as quotas portuguesas.

mais detalhes