Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística

Notícias

Portugal é o país da União Europeia com maior consumo de peixe

Os portugueses consomem, em média, 61,5 kg de pescado por pessoa, sendo o país da União Europeia que mais consome; mundialmente fica depois da Coreia (78,5 kg por pessoa) e Noruega (66,6kg).

Os investigadores do Joint Research Centre da Comissão Europeia estudaram o impacto das cadeias de abastecimento de pescado além das fronteiras nacionais para entenderem a pegada global do consumo do mesmo. E concluíram que entre os países que mais consomem encontra-se Portugal, com 61,5 kg de pescado por pessoa, Coreia (78,5 kg por pessoa) e Noruega (66,6kg). Sendo que na União Europeia o consumo situa-se nos 27kg por pessoa, tendo em conta o consumo individual e as pescas processadas que servem de isco. E o consumo global por pessoa está estimado em 22,3kg.

O consumo de pesca mais do que duplicou nos últimos 50 anos, razão pela qual a sustentabilidade dos stocks é uma questão cada vez mais debatida. E tendo em conta que muitas nações dependem de importações para atender a procura nacional, as avaliações da sustentabilidade do pescado têm de considerar tanto a produção doméstica quanto a fonte das importações líquidas – se é sustentável ou não.

De acordo com cálculos, usando como linha de base 2011, a procura global de pescado destinado ao consumo humano é de 143,8 milhões de toneladas por ano e a pegada de consumo geral, que também inclui outros usos do pescado, é de 154 milhões de toneladas. Devido à globalização, há uma grande discrepância geográfica entre a produção, que ocorre principalmente na Ásia, e a procura, principalmente na Europa e América do Norte.

A China, por exemplo tem, de longe, a maior pegada de consumo de pescado (65 milhões de toneladas), seguida pela União Europeia (13 milhões de toneladas), Japão (7,4 milhões de toneladas), Indonésia (7,3 toneladas) e Estados Unidos (7,1 milhões de toneladas).

Em termos de consumo per capita, a República da Coreia obteve os maiores resultados (78,5 kg per capita), seguida da Noruega (66,6 kg), Portugal (61,5 kg), Mianmar (59,9 kg), Malásia (58,6) e Japão (58 kg). A China vem em sétimo, com 48,3 kg per capita.

Estes dados tornam-se cruciais na medida em que fornecem aos decisores políticos provas para incentivar a colaboração internacional e promover políticas que garantam a sustentabilidade a longo prazo de toda a produção.

fonte