Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

CLEMENTE VITAL

Há 14 anos a chefiar o porto da «ilha dourada»

Clemente Vital, o responsável pelo Porto do Porto Santo conhece muito bem os subterrâneos do porto, sabe por onde passam os cabos de eletricidade, da água, sabe de cor tudo o que lá está e como está.

Começou a trabalhar em 1982 como agente de exploração, mas fez um pouco de tudo. Foi o primeiro funcionário a trabalhar na marina em 1986 até ter sido entregue aos privados. Depois, há poucos anos, voltou a recebê-la. Também esteve na agência dos barcos que ligavam o Porto Santo e a Madeira, esteve três ou quatro anos na secretaria e há 14 anos, ficou à frente do porto, cuja obra acompanhou atentamente.

O projeto para o porto vinha já do antigo regime. Teve algumas alterações como o contra molhe, por exemplo. As obras tinham começado em 1979, nessa altura, “entraram os dois primeiros funcionários para a área da fiscalização, o Zé Batista e o Sr. Serra, já falecido. Os outros vieram em 1982. O objetivo era ajudar na descarga dos “carreireiros” como o “Maria Cristina.”

Depois, foi adquirido o “Pirata Azul”, a seguir o “Independência”, o “Pátria”… a atividade portuária desenvolvia-se na “ilha dourada” e foram necessários mais funcionários.

Ao fim de todos estes anos, Clemente Vital não sabe dizer o que mais o marcou. “De tudo um pouco.” Mas, lembra-se do primeiro navio cruzeiro que foi ao Porto Santo, com 185 metros de comprimento, que “acostou e ficou com a proa fora do cais.”

Ainda hoje, faz de tudo um pouco, “até ir para o mar, como há dias fomos às seis da manhã, para dar apoio a uma embarcação.”

Antes de ir para a reforma gostava de ver a marina ampliada e modernizada. “Neste momento, já não se conseguem fazer reservas.” O estaleiro “também devia ser melhorado. Estão lá perto de 40 iates e há outros 12, em lista de espera.”