Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Primeiro navio de cruzeiros com vela mecânica

A Viking Line revelou o novo equipamento do seu navio de cruzeiro Viking Grace, com uma vela rotativa que gera energia eólica, tornando a embarcação, segundo a companhia “no primeiro navio de passageiros do mundo a apresentar a tecnologia para utilização da energia do vento”, reduzindo o impacto ambiental e poupando energia, segundo comunicado oficial.

Desenvolvida pela empresa finlandesa Norsepower Oy Ltd, a solução da vela rotativa irá limitar as emissões até 900 toneladas por ano, sendo que o Viking Grace, que já era um navio considerado verde, visto que era movido a gás natural liquefeito (GNL) desde 2013, iniciará viagens com esta tecnologia já hoje, entre Turku, na Finlândia, e Estocolmo, na Suécia.

Segundo a empresa, o que acontece é que “quando o rotor gira, o ar que passa flui com uma pressão menor num lado e depois no lado oposto; a força de propulsão criada por essa diferença de pressão leva o navio para frente; a operação da vela do rotor é automatizada e, portanto, o sistema será desligado em resposta a quaisquer mudanças desvantajosas na direcção ou força do vento”. A vela do rotor cilíndrico instalada no Viking Grace tem 24 metros de altura e 4 metros de diâmetro e usa o efeito Magnus para propulsão.

“Este é um óptimo dia para nós. Como companhia de navegação de Åland, confiamos no mar para nossa subsistência, por isso é primordial para nós promover o bem-estar do ambiente marinho”, referiu Jan Hanses, CEO da Viking Line.

A Viking Line planeia ainda utilizar a propulsão eólica numa nova embarcação da empresa que deve entrar em operação em 2020, e que será construída na China. Será um navio de passageiros equipado com duas velas mecânicas de rotor, fornecidas pela Norsepower, o que duplicará o potencial eólico.

fonte