Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Pires de Lima recomenda que Cimpor invista na navegabilidade do Tejo

O ministro da Economia, António Pires de Lima, sublinhou que o plano de investimentos da Cimpor no estuário do Tejo precisa de financiamento dos privados que dele vão beneficiar, nomeadamente a cimenteira, adquirida em 2012 pela brasileira InterCement.

“É importante que a Cimpor participe ativamente neste projeto [da melhoria da navegabilidade do estuário do Tejo, em Alhandra], que a beneficia diretamente. É um projeto que para se concretizar precisa de financiamento precisamente das empresas que vão ser beneficiadas”, disse o ministro da Economia, citado pela Lusa.

Pires de Lima encontra-se numa missão de três dias ao Brasil, na qual é acompanhado pelo secretário de Estado adjunto e da Economia, Leonardo Mathias, e pelo presidente da AICEP, Miguel Frasquilho.

Pires de Lima destacou também que Portugal apresenta «enormes qualificações na Cimpor», que podem ser ainda mais aproveitadas, não só para fazer crescer a cimenteira em Portugal, mas também para que aquela seja um exportador de serviços para todo o grupo, um dos mais importantes do mundo naquela área.

“Vim claramente aqui desafiar os responsáveis brasileiros da InterCement a investir ainda mais em Portugal”, afirmou.

Pires de Lima lembrou que o projeto de desassoreamento do estuário do Tejo, ao permitir a utilização do Cais de Alhandra pela Cimpor e outras empresas daquela região, «vai dotar aquela região de capacidade acrescida substancial em termos de exportação».

O projeto está inscrito no Plano Estratégico dos Transportes e Infraestruturas do Governo português e representa um investimento de 40 milhões de euros, mas necessita ainda de encontrar fontes de financiamento.

fonte