Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Pires de Lima quer «sucesso» de Sines replicado em «todos os portos nacionais»

O ministro da Economia, António Pires de Lima, afirmou que o Governo pretende para "todos os portos nacionais" o "sucesso" alcançado em Sines, pois o setor portuário é "determinante" para o crescimento da economia nacional.

O ministro, que discursava durante a cerimónia de celebração do 10.º aniversário da operação do terminal de contentores de Sines, lembrou que, em 2013, a movimentação de mercadorias nos portos continentais cresceu 17% em relação ao ano anterior, o que é um "reflexo evidente de que Portugal está a recuperar".

Os números são também um sinal de que "uma correta, ambiciosa e ousada estratégia portuária desempenha um papel determinante" no crescimento nacional, referiu, sublinhando que o país precisa de "um setor marítimo-portuário forte, competitivo, pujante e ao serviço das empresas".

António Pires de Lima destacou o crescimento de 68%, no ano passado, da infraestrutura concessionada à PSA Sines, filial da multinacional de Singapura PSA International.

O ministro da Economia, que recusou prestar declarações aos jornalistas após a sua intervenção, classificou como "ambicioso" o Plano Estratégico dos Transportes e Infraestruturas (PETI) no que diz respeito ao desenvolvimento da capacidade portuária nacional.

"Queremos fazer de Portugal um país competitivo à escala europeia e mundial no sentido de atrair movimentação portuária", sustentou.

Por isso, afirmou encarar "com particular ironia algumas críticas" que surgiram "aquando da apresentação" do documento.

"No conjunto de todos os portos principais" portugueses, foram movimentados, em 2013, "um pouco mais de dois milhões de TEU" (unidade equivalente a um contentor de 20 pés), volume que "cabe em metade da capacidade de um grande porto espanhol", convidou a refletir o governante.

Entre os 59 projetos de investimento prioritários do PETI, inclui-se a expansão do Terminal XXI e o desenvolvimento da ligação ferroviária Sines - Lisboa - Madrid, o que evidencia, segundo Pires de Lima, a "importância que o atual Governo atribui ao Porto de Sines".

O executivo PSD/CDS-PP tem desenvolvido negociações com a PSA Sines no sentido de autorizar um investimento aproximado de 95 milhões de euros na expansão do terminal portuário, que ficará com 1.230 metros de extensão e capacidade para movimentar perto de três milhões de TEU por ano.

No início deste mês, foi assinado um memorando de entendimento entre a empresa e a Administração dos Portos de Sines e do Algarve (APS), aquando da deslocação do Presidente da República de Singapura a Portugal, no qual foi assumido, de acordo com o ministro da Economia, o compromisso de se "chegar a um entendimento formal" num "breve espaço de tempo".

Pires de Lima afirmou estar convicto de que, "nos próximos meses", a negociação irá terminar, com um acordo "ganhador para as duas partes".

"Estamos verdadeiramente confiantes (.) de que será possível chegar a um entendimento neste processo benéfico para todas as partes e que cumpra, de uma forma segura, os requisitos básicos para que a PSA possa fazer o investimento em Portugal", disse.

LUSA