Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Terminal XXI movimentou mais de 100.000 TEU em Abril

No recente mês de Abril foram movimentados 102.562 TEU, o que constitui um marco histórico na evolução deste segmento de carga no Porto de Sines.

O Terminal de Contentores de Sines (TXXI) tem vindo a aumentar significativamente a média mensal de movimento de contentores e, pela primeira vez, ultrapassou a fasquia dos 100.000 TEU mensais.
Este crescimento revela uma evolução sustentada, quando comparada com os restantes meses de Abril dos anos homólogos, desde o arranque do Terminal XXI em 2005.

Com o tráfego da rota do Extremo-Oriente e a dos Estados Unidos a alavancarem este crescimento, foram igualmente obtidos índices de produtividade de referência no setor ao nível internacional, com médias de operação a ultrapassarem frequentemente os 200 TEU/hora.

Recorde-se que esta elevada movimentação acontece numa altura em que o terminal tem a decorrer as obras de expansão, o que constitui uma desafio ainda mais interessante em termos de conciliação da execução das obras com as operações a decorrerem a elevado ritmo.