Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

AÇORES

Visita do Royal Princess envolve mais de cem pessoas

Domingo, a mais recente estrela da frota da Princess Cruises visitou Ponta Delgada, numa escala que levou quase dois anos a ser preparada e envolveu mais de uma centena de pessoas na operação de bastidores em São Miguel.

No Centro de Coordenação do Porto de Ponta Delgada trabalha a equipa que respondeu a esse contacto e teve agora a missão de garantir a coordenação e o planeamento de toda a operação no porto.


Em paralelo com esta equipa trabalha também o agente de navegação que é o elo de ligação entre os diversos intervenientes da cadeia, quer com os portos, entidades alfandegárias, sanitárias, Serviços de Estrangeiros e Fronteiras, tendo a capacidade de atempadamente dar resposta a todas e quaisquer dificuldades com que o navio se possa deparar durante a sua estadia em porto.


Para a escala do Royal Princess, na sexta-feira, o Centro de Coordenação do Porto de Ponta Delgada já tinha toda a ação planeada. Este planeamento vai desde o local onde a embarcação deve atracar até à definição da quantidade de equipas envolvidas.

 

Domingo para receber o Royal Princess a pilotagem estava a postos às 6h30 da manhã, com um piloto e três marítimos na lancha.


O piloto é um profissional marítimo certificado que presta um serviço de assessoria técnica aos comandantes dos navios, para que as manobras de entrada em porto, saída e movimentos interiores, se possam realizar com altos níveis de segurança e eficiência. Apesar de os comandantes dos navios serem conhecedores do seu navio e tripulação, não estão necessariamente familiarizados com as especificidades de cada porto, recorrendo aos serviços dos pilotos para assegurar que o navio chegue ao seu destino de forma segura e eficiente.


Do lado de terra o agente de exploração, em comunicação com o piloto, coordena e orienta as operações de acostagem. Para proceder à amarração deste navio foram ainda necessárias seis pessoas.


Pelas 7h05, o navio estava atracado e já se começava a preparar a saída dos mais de 3260 passageiros que estão a fazer viagem transatlântica entre Fort Lauderdale nos Estados Unidos da América e Copenhaga na Dinamarca.


Ainda antes das 8h00 os primeiros passageiros já estavam a sair do navio. A maioria já com excursões marcadas para este dia em São Miguel.


Assim a Agência Açoreana de Viagens, empresa responsável pela organização das excursões em terra para os navios Princess Cruises, tinha no terminal das Portas do Mar 31 autocarros divididos por nove excursões e ainda 11 jipes, tendo garantido visitas de quase 2400 passageiros.

 

Os restantes passageiros que optaram por visitar São Miguel sem nada marcado, encontraram também à saída do cais de cruzeiros algumas sugestões de atividades. Mesmo assim a principal crítica deixada pelas entidades envolvidas neste processo foi o facto de muito do comércio e serviços locais se encontrar encerrado.

fonte