Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Ministra da Agricultura quer investimento estrangeiro na área da Economia do Mar

O ministério da Agricultura e do Mar inicia em junho na Noruega, Japão e Coreia do Sul um "roteiro de captação de investimento direto estrangeiro" para Portugal na área da economia do mar, com destaque para a aquacultura 'offshore'.

 

Em declarações à agência Lusa à margem de uma cimeira sobre os oceanos que decorre desde a passada segunda-feira em Haia, na Holanda, a ministra Assunção Cristas adiantou que o objetivo é "apresentar Portugal como um país que tem a preocupação de crescer na sua economia azul de uma forma equilibrada e sustentada e, para isso, está empenhado e disponível para encontrar investimento direto estrangeiro".

Segundo a governante, estão "já em preparação" para o mês de junho viagens à Noruega, ao Japão e à Coreia do Sul, a que se seguirão "mais iniciativas até ao final do ano", em busca "dos investidores que possam ajudar Portugal a fazer este desenvolvimento sustentável".

"A nossa preocupação é reunir com potenciais investidores e fazer uma apresentação da Estratégia Nacional do Mar e das condições que temos no nosso país para atrair investimento", afirmou Assunção Cristas, destacando a aquacultura 'offshore' como "uma área que vai estar em grande foco".

É que, explicou, estando neste momento em curso o processo que levará à concessão de 62 novas áreas de aquacultura 'offshore' entre a zona do Algarve e de Aveiro -- "dentro da lógica de projetos chave na mão, com o licenciamento todo já predefinido, quer para o espaço, quer para a atividade e para o licenciamento ambiental" - tudo "está já facilitado para apresentar aos investidores".

De acordo com a ministra, "esta será, seguramente, uma área prioritária na captação de investimentos", mas o roteiro servirá também para fazer "uma apresentação genérica da Estratégia Nacional do Mar" e das oportunidades e do apoio financeiro a dar a esses investimentos, "quer genericamente, quer ao nível de apoios específicos para a área do mar no âmbito do próximo quadro financeiro plurianual".

Organizada pelo governo holandês em parceria com a Noruega, EUA, Indonésia, Maurícias e Grenada, além do Banco Mundial e da FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura), a cimeira "Global Oceans Action Summit for Food Security and Blue Growth" discute até sexta-feira, em Haia, questões como o equilíbrio entre o desenvolvimento económico e a proteção do oceano, numa lógica de desenvolvimento sustentável.

A ministra portuguesa da Agricultura e do Mar, que hoje participou no segmento ministerial do encontro, diz ter "sinalizado que Portugal pode ser visto como exemplo" porque "está à frente num conjunto relevante de matérias" relacionadas com a Estratégia Nacional do Mar e com a lei de bases de ordenamento e gestão do espaço marítimo.

"Foi mais uma vez sinalizada esta evolução e liderança que Portugal tem. Aliás, estamos cá ao nível de ministros, coisa que não acontece com muitos outros países, o que é também um sinal positivo e de destaque", afirmou Assunção Cristas, recordando o "objetivo claro" previsto na Estratégia Nacional do Mar de "aumentar em 50% o peso da economia do mar no PIB (produto interno bruto) até 2020".

Com Lusa

fonte