Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Comunidade Portuária de Setúbal recebida pelo Ministro da Economia

A Comunidade Portuária de Setúbal foi recebida, no passado dia 1 de Abril, pelo Ministro da Economia, tendo a reunião decorrido de forma muito participada e cordial.

A CPS teve oportunidade de apresentar a sua visão para o desenvolvimento do Porto de Setúbal e manifestar as suas preocupações resultantes das notícias recentes que têm vindo a público, designadamente no que respeita a intenções de projectos de investimento no porto de Lisboa, aparentemente com características de mercado alvo (short sea trade) muito semelhantes às que já existem disponíveis em Setúbal e que, nessa medida, se posicionariam como seus concorrentes directos.

A este propósito, o Ministro esclareceu alguns aspectos importantes relacionados com a estratégia do Governo para o futuro do Porto de Setúbal e a sua integração na área logística adstrita ao eixo Lisboa-Setúbal, bem como sobre a alocação dos fundos públicos que permitirão a respectiva concretização, sempre numa perspectiva de complementaridade activa dos dois portos.

No entanto, a posição da Tutela foi bem clara no que respeita aos investimentos relacionados com a eventual construção de um novo terminal de contentores no porto de Lisboa, segundo a qual a sua concretização ficará sempre sujeita à existência de capitais privados disponíveis, pretendendo o Governo criar, tão só, as condições necessárias ao aumento da capacidade de oferta dos portos nacionais em matéria de carga contentorizada, dando resposta à tendência de crescimento sustentado deste segmento no tráfego marítimo global, objectivos esses que, neste contexto, mereceram a concordância da CPS.