Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

ILHA TERCEIRA, AÇORES

Diretor Regional das Pescas considera prioritário repor a operacionalidade no Porto de Vila Nova

“Essa é a prioridade máxima neste momento, voltar a colocar os equipamentos de alagem em funcionamento”, frisou Luís Costa (na foto), durante uma visita aos portos de pesca da ilha Terceira mais afetados pela forte ondulação dos últimos dias para se inteirar dos prejuízos.

As condições de mar permitem que as equipas de técnicos possam proceder à verificação e início dos trabalhos de reparação das instalações elétricas.

No Porto dos Biscoitos também se vão realizar reparações, nomeadamente ao nível das casas de aprestos, e já se estão a dar início às ações de limpeza.

Nos restantes infraestruturas de pesca do arquipélago não se verificaram danos significativos, nomeadamente na ilha do Pico, onde o Governo dos Açores anunciou, em dezembro, que vai executar obras nos portos de Manhenha e de São Roque, num investimento gobal de cerca de 300 mil euros.

Questionado no decorrer da visita pelos jornalistas, Luís Costa assegurou ainda que a Secretaria Regional dos Recursos Naturais está a monitorizar as descargas efetuadas nos portos da Região e que, quando estiverem reunidas as condições previstas no Decreto Legislativo Regional que regula o Fundopesca, irá ser convocado o Conselho Administrativo para decidir da sua ativação.

fonte