Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.

Janela Única Logística

Notícias

Operação para endireitar «Costa Concordia» vai começar

A proteção civil italiana dá início esta segunda-feira de manhã a uma operação para colocar na posição correcta o paquete 'Concordia', naufragado há mais de ano e meio na ilha de Giglio, anunciou fonte oficial.

"Se as condições meteorológicas marinhas o permitirem, as operações começam segunda-feira, às 04:00 TMG (05:00 em Lisboa)", declarou Franco Gabrielli, chefe da proteção civil e responsável pela operação, numa conferência de imprensa em Roma.

"A decisão vai ser anunciada no domingo, pelas 14:00" (13:00 em Lisboa), disse Gabrielli, e lembrou "tratar-se de uma operação nunca antes realizada". Os trabalhos deverão começar ao amanhecer e terminar, teoricamente, sete ou oito horas depois.

Centenas de engenheiros e técnicos estão, há mais de ano e meio, a preparar o paquete, com 290 metros de comprimento e 114.500 toneladas, para esta operação complexa.

O navio, completamente virado sobre o costado direito desde que naufragou a 13 de janeiro de 2012, foi estabilizado com centenas de sacos de cimento, colocados por mergulhadores no fundo mar, e um falso pavimento para o qual foi necessário perfurar o subsolo marinho.

Assim que o paquete estiver endireitado (em termos técnicos, trata-se de uma operação de 'parbuckling'), mediante a ação de enormes cabos de aço ligados a torres, instaladas para o efeito, o navio será consolidado na posição vertical.

Só várias semanas depois, provavelmente vários meses, o navio será rebocado para longe de Giglio.

O custo da operação - mais de 750 milhões de euros - ficou inteiramente a cargo da empresa Costa Cruzeiros (grupo Carnival), proprietária do paquete.

O paquete nafragou a 13 de janeiro de 2012, causando 30 mortos e dois desaparecidos. A bordo, entre passageiros e tripulantes, oriundos de 70 países, encontravam-se 4.229 pessoas.

Depois das operações de salvamento e de recuperação dos corpos, que se prolongaram por vários dias, os operadores estiveram várias semanas a esvaziar os reservatórios de combustível.

A ilha de Giglio, dependente do turismo, integra o parque do arquipélago toscano, considerado a maior reserva marinha da Europa.

As águas profundas que rodeiam a ilha são ricas em várias espécies de peixes, nomeadamente atuns, enquanto nos recifes submarinos vivem moreias, lagostas, mexilhões gigantes e caranguejos.

FONTE