Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

POR ALFREDO PINHEIRO MARQUES

Encontrado o cadáver do pescador de 18 anos

Esta terça-feira, 03.08.2013, foi encontrado o cadáver do pescador, de dezoito anos de idade, da pesca de "Cerco e Alar para Terra" (dita "Arte-Xávega"), que havia desaparecido há mais de uma semana, no dia 23.08.2013, no naufrágio de uma das embarcações que operam a partir do litoral da Fonte da Telha (entre a Costa da Caparica e Sesimbra).
Agora, o corpo veio para terra na rede de uma das outras Companhas que continuam a trabalhar nessa praia.

Em Maio deste ano corrente de 2013 -- e no Furadouro (Ovar), precisamente no local que, outrora, foi o centro mais emblemático deste tipo específico de pesca heróica e arcaica (mas que, em Portugal, ainda continua a ser praticada) --, já haviam também morrido pescadores, devido a um outro naufrágio, de um "Barco-da-Arte", e esses em circunstâncias que vieram a ser ainda mais trágicas e aflitivas: morreram dois homens, no naufrágio propriamente dito, e um terceiro, sobrevivente, logo depois morreu também, após sofrer um ataque de coração no regresso do funeral dos seus companheiros.

Neste triste ano de 2013, para além dos incêndios de sempre, de Verão, estão infelizmente a acumular-se também os naufrágios de sempre, e não só de Inverno (..."no Inverno os naufrágios, tal como no Verão os incêndios florestais. É a lei da natureza: a nossa natureza portuguesa"…); revelando bem que a sociedade portuguesa -- como sempre, ao "Deus dará"... -- continua tão incapaz como sempre para resolver os seus problemas.

Por Alfredo Pinheiro Marques
 

VISITE OS RECURSOS DA APLOP (ASSOCIAÇÃO DOS PORTOS DE LÍNGUA PORTUGUESA), NA WEB