Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

SETÚBAL

APSS investe nas acessibilidades ferroviárias e marítimas

O Porto de Setúbal vai avançar com a extensão da linha ferroviária até ao Terminal Termitrena (ex Eurominas) e com obras de dragagem que permitam a entrada de navios com calado até 13 metros. Em declarações à Transportes em Revista, Vitor Caldeirinha (na foto), presidente da Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, referiu que «se o Porto de Setúbal quiser crescer tem de melhorar as suas acessibilidades ferroviárias e marítimas.

Para além destes dois projetos, é também intenção desta administração e da Comunidade Portuária do Porto de Setúbal, melhorar as acessibilidades ferroviárias do triângulo de Praias do Sado, de modo a potenciar o crescimento do porto».

A extensão da linha será, entretanto, alvo de um estudo técnico e de viabilidade, faltando ainda a assinatura da Refer. Quando estiver concluído, o novo troço deverá ter cerca de quatro quilómetros e irá permitir o acesso ferroviário a um terminal que movimenta entre um e dois milhões de toneladas de clinquer e carvão, tendo ainda capacidade para aumentar entre 10 e 20 por cento o atual movimento nacional ferroviário de mercadorias. De referir que o investimento neste projeto deverá rondar os 17 milhões de euros.

Por seu turno, o projeto que envolve as obras de dragagem do Porto de Setúbal (e que também será alvo de um estudo de viabilidade) irá custar cerca de 25 milhões de euros, uma verba que deverá ser comparticipada pelos diversos operadores portuários. Atualmente, o Porto de Setúbal permite a entrada de navios com calados até 10,5 metros em qualquer condição de maré, permitindo ainda a entrada de navios com calados até 12 condicionados à maré.

Com estas obras, Setúbal irá permitir a entrada de navios com calados até 13 metros (New Panamax) em qualquer condição de maré. Segundo Vítor Caldeirinha «os navios de média dimensão também estão a crescer. Este é o nosso mercado, portanto temos de o acompanhar e garantir as respetivas condições de acessibilidade»