Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Ministra do Mar contra abate puro e duro de barcos de pesca

A ministra do Mar, Assunção Cristas, assegura que nunca pedirá em Bruxelas apoios para o abate da frota pesqueira em Portugal, assumindo uma posição contrária à do sector das pescas sobre esta matéria.

“Não há consenso com o setor quanto aos abates. Não defenderei em Bruxelas abates puros e simples”, afirmou a ministra da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território, Assunção Cristas, numa audição na comissão parlamentar de Agricultura e Mar. A ministra admitiu que o setor defende o abate de barcos, com o argumento de que “há embarcações que já só têm matrícula”, mas garantiu que sempre disse “que não veicula esta posição”.

“Tudo o que fizer agora para alienar capacidade de pesca vai ter consequências no futuro”, referiu.

Assunção Cristas disse concordar com abates “para modernização”, mas sublinhou: “Dinheiro para deixar de ter determinado número no nosso registo, não contem comigo”.

Questionada pelo deputado do Partido Ecologista “Os Verdes”, José Luís Ferreira, sobre que cortes se preveem no seu ministério, face à intenção do Governo de reduzir em 10% a despesa em todos os ministérios, a governante adiantou que os cortes ocorrerão sobretudo nos consumos intermédios.

“Estamos a trabalhar no sentido de manter tudo o que é relevante e muito relevante no ministério e conseguir fazer um esforço de compressão da despesa que possa não estar na primeira linha, como os consumos intermédios do próprio ministério”, disse.

Em resposta ao deputado do PCP João Ramos sobre o pagamento da taxa de segurança alimentar pelo setor da distribuição, Assunção Cristas disse esperar publicar “muito rapidamente” uma portaria interpretativa, de forma a que “venham a pagar esta taxa, que é estruturante”.

A governante comentou terem existido “alguns desconfortos do setor”, que alegou “não ser totalmente claro sobre o que se entendia de área alimentar”, o que justificou a falta de pagamento desta taxa.

“Preparámos uma portaria interpretativa – dos ministérios da Agricultura e das Finanças – para esclarecer. Está apenas a aguardar assinatura final e publicação”, referiu.

fonte