Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

COM VÍDEO

Pesca excessiva: desafios e soluções

Alguns denunciam a pilhagem dos oceanos que leva algumas espécies à beira da extinção. Será possível conciliar os interesses da indústria com as preocupações ambientais? E que dizer da qualidade e segurança do peixe que consumimos? Para responder a estas questões falámos com a Comissária Europeia dos Assuntos Marítimos e das Pescas, Maria Damanaki.

De acordo com a Comissária, “é essencial assegurar que o que tiramos do mar não ameaça as reservas de forma a que estas se consigam reproduzir”. Maria Damanaki defende que “se a reforma da política comum das pescas for implementada, as perspectivas são boas porque após 2022 a maior parte das reservas serão pescadas de forma sustentável. Isto significa que existirão quase mais 30% de postos de trabalho neste sector e os rendimentos dos pescadores aumentarão 24%.”

E quanto à segurança alimentar? Para Maria Damanakis, o primeiro passo é a rotulagem. Para a comissária é essencial que “cada peixe em cada supermercado na Europa tenha um rótulo que identifique se é fresco ou congelado e quando foi pescado”.

Em paralelo, a aquacultura apresenta possibilidades que poderão aliviar as pressões sobre as reservas piscícolas no mar.

VEJA O VÍDEO DA EURONEWS

TEJO VIGNETTE - GALERIA DE 120 FOTOS