Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Pescadores dos Açores querem reforço de fundo de apoio

A Federação de Pescas dos Açores (FPA) vai defender junto do Governo Regional um reforço do Fundo Pesca, devido às dificuldades geradas pelo mau tempo que tem assolado a região.

“Estamos a diligenciar esforços para reunir com o Governo dos Açores, designadamente com o secretário regional dos Recursos Naturais, por forma a apurar quais são as hipóteses de podermos reforçar a verba do Fundo Pesca, atendendo a que temos pescadores que eu sei que estão a passar dificuldades enormes”, disse à agência Lusa José António Fernandes, presidente da FPA.

O dirigente da federação adiantou que “há famílias inteiras a passar fome”, atendendo às más condições atmosféricas que se fazem sentir nos Açores, que impossibilitam a saída dos pescadores para o mar.

“Já tenho alguma idade e julgo que este é um dos piores invernos de que tenho memória. Temos pessoas que só vivem da pesca que estão nesta altura com um aperto quase impossível de sobreviver”, frisou José António Fernandes.

Desde que foi acionado há cerca de um mês que os pescadores beneficiários do Fundo Pesca estão a receber um valor mensal que tem como referência cerca de 50 por cento do salário mínimo regional açoriano, ou seja, cerca de 250 euros.

Mau tempo, preservação de recursos, interdição de pesca por motivos de saúde pública ou defesa do ambiente e impossibilidade do exercício da faina ditada por condicionantes decorrentes do caráter migratório das espécies são algumas das condições previstas para acionar o Fundo Pesca, criado em 2002.
A Secretaria Regional dos Recursos Naturais está a trabalhar numa proposta de revisão abrangente do diploma que rege o Fundo Pesca.