Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Cavala, sardinha e carapau lideram descargas no continente

Apesar de Portugal ter pescado menos em 2012, o volume de negócios registou um aumento de 8,4% face ao ano anterior.

Os pescadores portugueses capturaram 200 mil toneladas de peixe em 2012, o que representou um volume de negócios de 277 milhões de euros.

Os acordos entre o Governo e os pescadores – relacionados com a diminuição das capturas de sardinha - contribuíram para uma redução de 8,2% das pescas durante o ano passado, no entanto, o valor do pescado registou um crescimento de 8,4%.

A cavala, a sardinha e o carapau estão à cabeça das espécies descarregadas em portos do continente. As espécies com maiores aumentos percentuais de descarga são o verdinho, com um aumento de 184%, seguido do carapau com um aumento de 50% e da cavala com um aumento de 21 % em relação a 2011.

Nas Regiões Autónomas, destaca-se o aumento de 229% nas descargas de peixe-espada preto nos Açores e o aumento de 131% nas descargas de atuns e similares na Madeira.