Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

PÁGINAS DA HISTÓRIA MARÍTIMA

Reparação deficiente na origem de acidente com Prestige

Um engenheiro naval defende que o acidente com o petroleiro "Prestige", ocorrido na Corunha (Galiza, Espanha) em novembro de 2002, foi consequência de uma reparação deficiente do navio realizada na China em 2001.

Charles Cushing, autor de um relatório oficial sobre o acidente que provocou a pior maré negra da história de Espanha, apresentou o documento diante do tribunal da Corunha que está a julgar os danos ambientais do acidente.

O perito recordou que em 2001 o "Prestige" foi submetido a uma reparação "deficiente" num estaleiro chinês, indicando que o navio "saiu [do estaleiro] em condições piores do que quando chegou".

Cushing referiu um conjunto de irregularidades cometidas durante a reparação, incluindo a substituição de peças, garantindo ainda que a corrosão da chapa da embarcação "era excessiva e ultrapassava os níveis aceitáveis".

O engenheiro naval assegurou que o motivo do acidente do "Prestige", que se afundou depois de ficar à deriva no dia 13 de novembro de 2002 e de se ter partido em dois, foi a rutura de uma antepara dos tanques do petroleiro, responsabilizando o capitão da embarcação pela falta de manutenção.

"O acidente ocorreu por causa da perda de força da embarcação provocada pelo colapso da antepara central", disse o perito.

O julgamento do caso "Prestige", que arrancou em outubro de 2012, está há várias semanas a analisar provas periciais solicitadas pelas partes envolvidas no processo.

O acidente provocou o derramamento de cerca de 50.000 toneladas das 77.000 toneladas de fuelóleo que o "Prestige" transportava.

As praias e as zonas rochosas da Galiza, Astúrias, Cantábria e França foram atingidas por uma maré negra e mais de 300.000 voluntários de todo o mundo participaram na limpeza das praias e no resgate dos animais afetados.

fonte

VISITE OS RECURSOS DA APLOP (ASSOCIAÇÃO DOS PORTOS DE LÍNGUA PORTUGUESA), NA WEB
 

 







Artigos relacionados:

  • Em 2002 Letizia fez cobertura do naufrágio do «Prestige» para a TVE
  • PRESTIGE: À procura de um culpado
  • Julgamento do derrame do Prestige começa esta terça-feira, 16 de Outubro
  • Três meses depois os efeitos continuavam devastadores
  • «Prestige» provoca catástrofe ambiental de grandes proporções
  • O acontecimento da semana
  • Máfia, lavagem de dinheiro, empresas fantasmas, paraísos fiscais
  • Veja os vídeos